28 de Abril de 2015 • 7:02 pm

Política

Renan condena ajuste fiscal de Dilma e põe lenha na fogueira

Embora aliado, senador faz discurso de oposição dizendo que ajuste feito por Dilma é trabalhista e totalmente prejudicial ao trabalhador

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
161033_ext_arquivo

Para Renan, o ajuste fiscal tem que cortar no Estado, tem que fazer a reforma do Estado. (Crédito: Agência Senado)

Brasil – Em rota de colisão com a Presidente Dilma Rousseff (PT), o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB) decidiu atacar o ajuste fiscal do governo, do qual o partido dele é o principal aliado. Segundo o senador o ajuste fiscal prejudica sobremaneira os trabalhadores brasileiros. A fala de Calheiros quase às vésperas das comemorações do Dia 1º de maio, data dedicada ao trabalhador, vem por mais lenha na fogueira que ainda queima nos arredores do Palácio do Planalto, desde que o final da apuração das eleições passadas.

O presidente do Senado  disse que esse ajuste não é um ajuste fiscal. Para ele, “o ajuste fiscal tem que cortar no Estado, tem que fazer a reforma do Estado”. Renan entende que o esse é um ajuste trabalhista. “E como ajuste trabalhista, a presidente está tendo dificuldades de falar no 1º de Maio porque a conta não pode ir para o trabalhador”, reforçou, acrecentando que a presidente Dilma não terá comdições de fazer pronunciamento na TV para o trabalhador,no próximo dia primeiro.

A declaração do presidente do Senado foi feita depois de encontro com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Depois que a  comunicação do Palácio do Planalto diz que a presidente falará ao povo do País pela internet na sexta-feira e não fará pronunciamento na TV.

Deixe o seu comentário