20 de julho de 2017 • 8:19 am

Blogs » Marcelo Firmino

Renan diz que é contra financiamento de campanha com dinheiro público

Fundo eleitoral deverá reunir R$ 4 bilhões para os partidos investirem nos seus candidatos

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Enquanto avança no Congresso Nacional a proposta da criação de Fundo Eleitoral, para financiar a campanha de 2018, o senador Renan Calheiros (PMDB) se manifestou contra o dinheiro público nesse processo.

Para ele, a administração partidária desse fundo será um fator extremamente complicador, mas que ao mesmo tempo atrairá muita gente para ser candidato, “sem de fato de ser”, apenas para ter acesso ao dinheiro do Fundo Eleitoral.

Segundo senador, que é candidato a reeleição, essa proposta de campanha financiada com o dinheiro público precisará ser melhor discutida no Congresso. Ele torce para que essa ideia não prevaleça, mas defende que é necessário uma reforma no processo atual, para tornar as regras eleitorais muito mais  transparentes e democráticas.

Renan: contra o financiamento público

O Fundo – Ao prevalecer a proposta do financiamento público de campanha, cada deputado federal com mandato representará para o partido algo em torno de R$ 2, 38 milhões e cada senador representará R$ 6,6 milhões.

O texto do Fundo Eleitoral, ora em discussão, estabelece um valor total de R$ 4 bilhões para os partidos financiarem as campanhas de seus candidatos.

A regra atual determina que dinheiro público em eleição deve ser distribuído considerando as bancadas da última eleição (no caso, a de 2014). A forma de entendimento para distribuição dos recursos para cada candidato ficará a critério de cada partido.

Deixe o seu comentário