6 de Abril de 2015 • 11:09 am

Brasil

Renan e Cunha querem quebrar sigilo telefônico de Ministro da Justiça

A rebelião dos aliados peemedebistas contra o governo Dilma Rousseff já faz mais estragos no Planalto do que o trabalho das oposições. O PMDB, por exemplo, segundo o portal Brasil247,…

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A rebelião dos aliados peemedebistas contra o governo Dilma Rousseff já faz mais estragos no Planalto do que o trabalho das oposições. O PMDB, por exemplo, segundo o portal Brasil247, está negociando com PSDB e DEM a quebra do sigilo telefônico do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. O objetivo é que o pedido seja feito no âmbito da CPI da Petrobras, que investiga denúncias de corrupção na estatal.

O curioso é que o PMDB é considerado o maior aliado do governo e detém atualmente sete ministérios, além da vice-presidência da República. A posição das lideranças peemedebistas já faz tremer a área da esplanada dos Ministérios, em Brasília.

A questão é o PMDB acusa Cardozo de ter influenciado o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a incluir em sua lista de políticos suspeitos na Lava Jato os nomes do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A suspeita se baseia em encontros fora da agenda realizados por Cardozo e Janot antes da divulgação da lista com os nomes dos envolvidos na Operação Lava Jato ser entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela Procuradoria-Geral da República.

A avaliação do PMDB é de que o pedido de investigação contra Renan e Cunha, suspeitos de terem recebido propina no esquema de corrupção da Petrobrás teria sido feito por Cardozo. Por isso mesmo um aliado de Cunha apresentou o requerimento pedindo a quebra de sigilo do Ministro da Justiça. O  aliado de Cunha é o deputado Paulinho da Força (SD-SP).

 

Deixe o seu comentário