20 de setembro de 2016 • 3:09 pm

Brasil » Política

Renan: Lava Jato tem que acabar com o “exibicionismo” em denúncias

Segundo o senador, o “exibicionismo” foi verificado na denúncia de procuradores contra o ex-presidente Lula

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta terça-feira (20), ao chegar à Casa, que denúncias como a que foi feita contra o ex-presidente Lula tiram o “prestígio” do Ministério Público Federal (MPF). Segundo ele, a operação não pode fazer denúncias por “exibicionismo”.

Renan: contra exibição de procuradores

Renan: contra exibição de procuradores

“A Lava Jato é um avanço civilizatório, mas ela tem a responsabilidade de separar o joio do trigo, acabar com esse exibicionismo, fazer denúncias que sejam consistentes. Acabar com o exibicionismo que nós vimos agora no episódio do ex-presidente Lula e vimos em outros episódios, porque isso, ao invés de dar prestígio ao Ministério Público, retira prestígio do Ministério Público”, disse ele, criticando uma suposta “mobilização política” dos procuradores.

“É preciso fazer denúncias, investigar, mas que tenham começo, meio e fim, que sejam consistentes, e não fazer denúncias por mobilização política, porque com isso o país perde, as instituições perdem também”, argumentou Calheiros.

Questionado por jornalistas sobre supostas influências suas e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para votar na noite desta segunda-feira (19) um projeto de lei que anistia o caixa dois nas campanhas eleitorais, inclusive em eleições passadas, Renan negou qualquer participação na tentativa de aprovar o texto.

“Eu não fui informado do que conteria essa proposta, sinceramente. Não participei em nenhum momento dessa decisão. Não sei de nada, o que se pretende, qual é o texto, se é eficaz, em que momento vai votar. Isso não chegou ainda ao Senado”, disse o presidente do Senado.

Deixe o seu comentário