3 de agosto de 2016 • 7:48 am

Brasil » Política

Rodrigo Maia promete leitura do parecer de cassação de Eduardo Cunha dia 8

Michel Temer tem atuado nos bastidores para livrar Eduardo Cunha da cassação.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Apesar de todas as manobras do presidente interino, Michel Temer, para salvar da cassação o amigo dele, deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) as diversas cobranças feitas por parlamentares na Câmara parecem ter surtido efeito.

Maia: promessas ao plenário.

Maia: promessas ao plenário.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), prometeu nesta terça-feira, 2, que fará na próxima segunda-feira, 8,  em plenário, a leitura do parecer do Conselho de Ética que pede a cassação do mandato de Cunha.  A leitura é o primeiro passo antes da votação no plenário.

O anúncio de Maia foi feito durante a sessão de discussão do projeto de lei (PL 257/16) que trata da renegociação da dívida dos estados. Pelo regimento da Casa, uma vez lido o parecer, a cassação entra na pauta após 48 horas, abrindo a possibilidade de votação ainda na quarta-feira (10). Para a perda de mandato de Cunha ser aprovada são necessários pelos menos 257 votos.

Dede o início dos debates em plenário, deputados do PT, PCdoB, Rede e PSOL cobravam do presidente da Casa uma resposta cobre a votação do relatório de Marcos Rogério (DEM-RO).

“Esse processo já passou de 10 meses, portanto, não cabe pautar nenhum projeto, nenhuma prioridade do governo provisório golpista, sem que se vote a cassação do deputado Eduardo Cunha”, disse a líder da minoria, Jandira Feghali (PcdoB-RJ).

O processo está pronto para decisão antes do recesso de julho. Desde que foi eleito, Maia tem evitado se posicionar sobre uma data de votação. Todas as vezes que foi questionado a respeito, Maia limitou-se a dizer que colocaria a cassação de Cunha em votação quando tivesse a “casa cheia”.

“Não é possível mais adiar esse tema, todos os recursos apresentados pelo denunciado [Cunha] já foram vencidos, e a Câmara precisa virar essa página”, cobrou Alessandro Molon (REDE-RJ). “Peço que não deixe a Casa no suspense e responda a essa pergunta que todo o país faz”, acrescentou.

Apesar de negar que a cassação de Cunha é um “assunto tabu”, Rodrigo Maia afirmou que, agora, a prioridade de votação da Câmara é o projeto da renegociação da dívida dos estados, adiado para a próxima semana, ainda sem data definida.

“Podemos fazer essa leitura na segunda-feira, não há nenhum tipo de problema”, disse.  “Nossa prioridade na pauta continuará sendo o PL 257. Só tratarei de outro projeto depois que esse tiver sido aprovado ou derrotado”, afirmou.

 

Deixe o seu comentário