29 de Fevereiro de 2016 • 5:54 pm

Saúde

Santa Casa de Maceió conquista destaque no Datasus por cirurgias pediátricas

Instituição figura entre os 33 hospitais que mais realizaram cirurgias infantis entre 2.797 hospitais brasileiros.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A Santa Casa de Maceió e suas unidades externas Hospital Nossa Senhora da Guia e Santa Casa Farol fizeram a diferença na vida de 1.577 crianças em 2015 e levaram a instituição a figurar entre os 33 hospitais que mais realizaram cirurgias infantis entre 2.797 hospitais brasileiros, segundo o Datasus.

Em Maceió, a instituição respondeu em 2015 por 38% das cirurgias pediátricas (ver gráfico ao lado), seguida pelo Hospital do Açúcar (18%) e o Hospital Geral do Estado (17%).gráfico

O Datasus revela que a Santa Casa de Maceió e suas unidades externas foram também as que mais realizaram este procedimento em todo estado de Alagoas no ano passado, assumindo 23,2% do total de intervenções, seguidas do Hospital do Açúcar (11,2%) e Hospital Geral do Estado (10,1%).

Pacientes de noventa e quatro dos 102  municípios alagoanos foram atendidos na Santa Casa de Maceió, o que mostra a importância do serviço para toda Alagoas. No período só não houve pacientes de Canapi, Feliz Deserto, Jaramataia, Jundiá, Olho d’Água do Casado, Olivença, Palestina e São Brás.

Enquanto as cirurgias de alta complexidade foram realizadas na Santa Casa Farol, as de média e baixa complexidade ocorreram no Hospital Nossa Senhora da Guia. Até a suspensão do serviço, em outubro do ano passado, as crianças pacientes do SUS usufruíam das modernas instalações da Santa Casa Farol (como a UTI Neonatal e pediátrica) e de equipamentos especiais (como a videolaparoscopia), sendo assistidos pelos mesmos cirurgiões do Hospital Nossa Senhora da Guia. “São procedimentos complexos, como os neonatais e os diversos tipos de malformações, que salvaram as vidas de inúmeras crianças”, disse o médico Luciano Agra, chefe do Serviço de Cirurgia Pediátrica.

Na contratualização com os gestores da saúde em 2015 houve uma redução de 50% para realização das cirurgias pediátricas, o que inviabilizou a continuidade dos serviços. Segundo Agra, uma proposta foi enviada às secretarias Estadual e Municipal da Saúde visando recompor a média histórica de cirurgias, cobrir os custos dos procedimentos e, por tabela, retomar a assistência às crianças.

Deixe o seu comentário