23 de julho de 2016 • 11:02 am

Saúde

Santa Casa reúne mulheres vencedoras do projeto da Mama nesta segunda

O câncer de mama é a neoplasia mais comum entre mulheres, com estimativa de 1,4 milhão de novos casos por ano

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Por Theodomiro Jr

Como prevenir as sequelas da mastectomia e como a terapia ocupacional pode ajudar no pós-operatório. Os dois temas serão abordados nesta segunda-feira, 25, em mais um encontro do grupo Mulheres Vencedoras, no Projeto Mama, da Santa Casa de Maceió.

Projeto vencedor na Santa Casa

Projeto vencedor na Santa Casa

A organização do evento já tem confirmada a presença da fisitoterapeuta Roberta Cunha e da terapeuta ocupacional Analice Brandão. O encontro ocorrerá às 8h no Centro de Estudos da Santa Casa de Maceió, no centro da capital alagoana.

Números – O câncer de mama é a neoplasia mais comum entre mulheres, com estimativa de 1,4 milhão de novos casos por ano e é responsável por, aproximadamente, 460 mil óbitos por ano em todo o mundo.

O tratamento é diversificado e inclui, sobretudo, cirurgias como mastectomia, conservadoras ou radicais, associadas a esvaziamento de linfonodos axilares, biópsia de linfonodo sentinela, radioterapia, quimioterapia adjuvante e/ou neoadjuvante, hormonioterapia hormonal, com resultados bastante positivos na melhora da sobrevida dessa população.

A reabilitação destaca-se nesse processo, uma vez que oferece recursos que visam prevenir e minimizar a incapacidade, bem como promover a maior funcionalidade possível e desenvolver o potencial psicossocial.Mesmo no caso de cirurgias menos invasivas, a perda de força muscular pode ser próxima daquela observada em cirurgias mais invasivas. É neste momento que entra o trabalho do profissional de fisioterapia e do terapeuta ocupacional.

Sua importância fica clara frente à alta prevalência de potenciais complicações: até 67% das pacientes terão restrição da articulação do ombro no seguimento do tratamento, das quais até 68% desenvolverão quadro de dor tanto no ombro quanto no membro superior e até 34% das mulheres apresentarão linfedema.

O projeto – Conforme explicam as psicólogas Anamarina Soares e Elizangela Falcão, o Projeto Mama nasceu para difundir informações sobre prevenção e tratamento de doenças que afetem a mama, dentre elas o câncer.

A iniciativa, intitulada Mulheres Vencedoras pelas próprias participantes, é voltada para o público leigo e reúne mensalmente pacientes ou não da instituição, além de homens e mulheres interessados no tema.

Participam voluntariamente da iniciativa profissionais de diversas áreas, como nutricionistas, oncologistas, radioterapeutas, terapeutas ocupacionais, entre outros.

A iniciativa conta com o apoio e o suporte da Rede Feminina de Combate ao Câncer, que providencia o lanche para os participantes.

Os encontros do Projeto Mama ocorrem sempre na última segunda-feira do mês.

 

 

Deixe o seu comentário


Publicidade