26 de Janeiro de 2016 • 11:17 am

Maceió

Médicos e técnicos do PAM Salgadinho serão transferidos durante reforma

Profissionais serão remanejados para os 68 postos de saúde da capital e, com o progresso das obras, aos poucos, retornarão à unidade de origem

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Foto: Agência Alagoas

Foto: Agência Alagoas

Numa entrevista ao Bom Dia Alagoas, realizada na manhã desta terça-feira (26), o secretário de Saúde de Maceió, José Thomaz Nonô, informou que a administração municipal decidiu transferir os servidores lotados no PAM Salgadinho durante a reforma do posto de atendimento médico.

Segundo Nonô, os profissionais serão remanejados para os 68 postos de saúde da capital e, com o progresso das obras, aos poucos os servidores serão trazidos de volta. O fechamento da unidade acontecerá antes do período determinado pelo Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) para que seja realizada a “interdição ética”. A decisão do Conselho é de que os médicos só trabalhem no PAM até o dia 15 de fevereiro.

O presidente do Cremal, Fernando Pedrosa, explicou o que significa o termo. “A interdição ética é fruto de um minucioso estudo das condições físicas do prédio e dos equipamentos do PAM Salgadinho. Foram realizadas fiscalizações pelo Conselho, identificados os problemas e nada avançou. Não tivemos outra alternativa senão a interdição ética, pelo bem dos profissionais médicos e da população”, disse.

De acordo com o secretário, a previsão de conclusão da primeira etapa das obras de reforma do PAM Salgadinho é para o mês de março. “Quando as obras em cada bloco forem concluídas, o Cremal será chamado para fazer a vistoria e liberar o espaço para os profissionais”, observa.

Ele ainda explicou que a Secretaria de Saúde tem um levantamento das carências nos postos de saúde e afirma que a população será diretamente beneficiada com a decisão da prefeitura. “Quem precisa de atendimento nos postos, vai passar a ter profissionais que faltavam”, diz.

Situação preocupante

78d64734f7324a0ab2aaaff935fec5ab_dsc_0833Há muito tempo que o PAM Salgadinho está em situação deplorável, sem oferecer as mínimas condições de trabalho para os servidores. Numa entrevista, em setembro de 2015, dirigentes do Sindicato da Previdência de Alagoas (Sindiprev), destacaram o esquecimento da Prefeitura com a unidade.

“Há anos que os servidores alertam que o PAM Salgadinho não oferece condições de trabalho. O ambiente é insalubre, inseguro e precisa de uma reforma ampla, para que os servidores possam ser bem instalados e assim melhorar o atendimento aos usuários, mas o prefeito nunca ligou”, disse.

Deixe o seu comentário