16 de junho de 2015 • 7:46 am

Cotidiano

Servidores fecham PAM Salgadinho em protesto contra descaso na gestão da saúde em Maceió

O prefeito Rui Palmeira prometeu uma saúde de excelência, mas o caos domina o setor na administração municipal.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Servidores parados no PAM.

Servidores parados no PAM.

WP_20150616_004 (1)A promessa do prefeito Rui Palmeira de transformar a saúde em Maceió em um polo de excelência nunca saiu do papel. O atendimento tem sido tocado à base de escandâlos e descasos administrativos já comprovados em auditoria do Ministério da Saúde que acusou o rombo de R$ 6 milhões nas contas da Secretaria de Saúde do Municipio.

Um dos reflexos do caos no setor está no PAM Salgadinho que fechou as portas nesta terça-feira, 16. Em carta aberta aos usuários, os trabalhadores do PAM acusaram a falta de condições para o atendimento e falência administrativa no maior Posto de Atendimento da capital. O Sindprev diz que não se trata de uma greve ainda, mas um alerta aos gestores municipais pela irresponsabilidade com que tratam as condições de trabalho dos servidores nos postos de saúde.

Abaixo, a íntegra da carta:

 

– Nós trabalhadores/as do Posto de Atendimento Médico (PAM) Salgadinho vimos a público denunciar o verdadeiro caos que vivemos todos os dias.
A situação é totalmente inaceitável e insustentável. Não temos as mínimas condições para o atendimento que a população merece. Até mesmo luvas descartáveis estão em falta para realizar os procedimentos mais básicos do nosso dia-a-dia. Praticamente todos os serviços de diagnósticos estão paralisados devido a falta de condições.
Outra realidade nefasta é a falta de segurança. Estamos tendo o dessabor de sermos assaltados e roubados dentro das dependência do PAM, por absoluta falta de uma segurança efetiva. Bandidos invadem o Posto e roubam funcionários em plena luz do dia. Isso não pode continuar.
E    xigimos da Prefeitura Municipal de Maceió; do Governo do Estado e do Governo Federal imediata solução para essa situação caótica e de insegurança que vivemos todos os dias.
Não podemos continuar desta forma, nos expondo a violência e riscos a nossa própria saúde, já que materiais básicos de protenção individual, como luvas simplesmente estão em falta.
Temos um compromisso com a população alagoana, sabemos da importância deste Posto para a Saúde do Estado, mas não aguentamos mais. Estamos, literalmente, pedindo socorro e denunciando essa insustentável situação de abandono do PAM Salgadinho.
Solicitamos o apoio da população, dos órgãos fiscalizadores, como Ministério Público, no sentido de pressionarem os gestores da Saúde a resolverem essa situação preocupante.
Por fim, reafirmamos nossa luta por uma saúde pública de qualidade e que atenda todos/as da melhor forma possível.

Deixe o seu comentário