1 de agosto de 2017 • 1:17 pm

Política

Sesi cria projeto para ajudar adolescentes a se desviarem das drogas

A mais recente iniciativa Serviço Social da Indústria (Sesi/AL) na área de responsabilidade social,  vai beneficiar adolescentes dos bairros da Cambona, Levada, Trapiche, Bebedouro, Jacintinho, Tabuleiro e Vergel do Lago….

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Meta do Sesi/AL é investir em desenvolvimento humano e nas disciplinas Portugues e Matemática, para estimular adolescentes.
Foto: Ascom/Fiea

A mais recente iniciativa Serviço Social da Indústria (Sesi/AL) na área de responsabilidade social,  vai beneficiar adolescentes dos bairros da Cambona, Levada, Trapiche, Bebedouro, Jacintinho, Tabuleiro e Vergel do Lago. São áreas nas cercanias da Escola Sesi e Vila Olímpica Albano Franco, e na parte alta de Maceió.

O alto índice de violência, as carências nas áreas de saúde, educação, saneamento, habitação, lazer e segurança; abandono escolar; trabalho infantil, exploração sexual e drogadição são questões que justificam o projeto “Sesi Inspira”, que começa agora em agosto. A iniciativa está voltada para adolescentes, na faixa etária dos 11 aos 16 anos, que estejam matriculados na rede pública, a partir do 6º ano, e sejam beneficiários do Bolsa-Família. O processo de seleção já foi iniciado.

O objetivo é promover o desenvolvimento humano e a qualidade de vida de adolescentes residentes nas áreas citadas. Segundo Cristina Suruagy, gerente de Educação do Sesi, a ideia é desenvolver atividades socioeducativas com foco no reforço em Português e Matemática, esportes, aulas de robótica, apoio psicossocial, fortalecimento dos vínculos familiares (reuniões e encontros) e aulas de empregabilidade (simulações, treinamentos, dinâmicas).

“É muito bom integrarmos essas comunidades, para ajudá-las e para que defendam a estrutura que o Sesi coloca à disposição delas”, disse o presidente da Federação das Indústrias do Estado e Alagoas (Fiea), empresário José Carlos Lyra de Andrade, nesta segunda-feira, 31, durante reunião com professores e pedagogos do Sesi, responsáveis pelo projeto. Segundo Lyra, a pretensão da Fiea é que a ação seja contínua.

Muitos desses adolescentes podem ser desviados do caminho das drogas (álcool e outros entorpecentes) a partir de sua integração a atividades como as que serão oferecidas pelo “Sesi Inspira”, que começa com duas turmas de 20 alunos cada uma. “Somos parceiros de várias instituições nessa área de responsabilidade social, mas esse é um projeto exclusivo do Sesi”, ressaltou o superintendente executivo da entidade, Carlos Alberto Paes.

Deixe o seu comentário