11 de maio de 2016 • 4:14 pm

Política

Setor produtivo alagoano avalia que gestão Dilma emperra economia

A classe empresarial alagoana acompanha com atenção a sessão em que o plenário do Senado Federal vota o pedido de afastamento da presidente da República, Dilma Rousseff.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
José Carlos Lyra alerta para ameaça a manutenção da estrutura das unidades Sesi e Senai em todo Pais - Foto: Ascom/Fiea

José Carlos Lyra, é um dos signatários da nota em que empresários destacam importância da ação do senador Renan, para continuidade do impeachment – Foto: Ascom/Fiea

A classe empresarial alagoana acompanha com atenção a sessão em que o plenário do Senado Federal vota o pedido de afastamento da presidente da República, Dilma Rousseff. O setor produtivo avalia que a gestão dela está esgotada, e emperrando o desenvolvimento econômico do País. Por isso, se posiciona favorável ao impeachment.

Neste sentido, presidentes de cinco federações que representam os principais segmentos da economia de Alagoas assinaram nota em que parabenizam o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), pela firme decisão de dar prosseguimento ao processo. A nota foi emitida diante do ato, posteriormente revogado, que anulava a sessão em que a Câmara dos Deputados deu o passo inicial para o afastamento da presidente.

Os dirigentes das Federações da Indústria, do Comércio, Agricultura, Câmara de Dirigentes Lojistas e Associações Comerciais manifestaram ao senador Renan Calheiros satisfação por sua postura diante do ato de revogação da sessão da Câmara Federal, que consideraram extemporâneo. A atuação do senador foi definida como “equilibrada, firme e decidida”.

Para os empresários, a pronta ação do presidente do Senado “demonstrou expressiva maturidade, eliminando quaisquer riscos ou ameaças à democracia brasileira”. Assinaram a nota os empresários José Carlos Lyra de Andrade (Fiea), Wilton Malta de Almeida (Fecomércio), Álvaro Almeida (Faeal), José Leonardo Marques (FCDL) e Kennedy Calheiros (Federalagoas).

 

 

Deixe o seu comentário