21 de Março de 2017 • 7:12 pm

Cotidiano

Síndrome de Down: condição genética não impede crescimento profissional

ONG Movimento Down destaca a importância do Dia Mundial

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O  Dia Internacional da Síndrome de Down foi comemorado nesta segunda-feira, 21 em grande parte do País, como acontece anualmente desde 200. O dia 21 foi escolhido por representar a singularidade da triplicação (trissomia) do cromossomo 21, que causa esta ocorrência genética.

Segundo a ong Movimento Down, o objetivo da iniciativa é celebrar a vida das pessoas com síndrome de Down e disseminar informações para promover a inclusão de todos na sociedade.

De acordo com  Maria Antônia Goulart, coordenadora geral do Movimento Down, a síndrome não deve ser vista como empecilho para o crescimento profissional. Exemplos não faltam de desportistas, repórteres, atores e atrizes no Brasil e no mundo com esta condição genética.

Clique aqui e confira alguns exemplos de personalidades com síndrome de Down, entre elas o judoca Breno Viola (foto acima).

Bremo Viola: primeiro judoca com Síndrome de Down a conquistar a faixa preta no continente americano

No quadro acima, veja a forma correta e incorreta de se referir a pessoas com síndrome de Down.

A síndrome – A síndrome de Down é causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou na maior parte das células de um indivíduo. Isso ocorre na hora da concepção de uma criança. As pessoas com síndrome de Down (ou trissomia do cromossomo 21) têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população.

“As crianças, os jovens e os adultos com síndrome de Down podem ter algumas características semelhantes e estar sujeitos a uma maior incidência de doenças, mas apresentam personalidades e características diferentes e únicas”, diz Maria Antônia Goulart, coordenadora geral do Movimento Down.

“É importante esclarecer que o comportamento dos pais não causa a síndrome de Down. Não há nada que eles poderiam ter feito de diferente para evitá-la. Não é culpa de ninguém. Além disso, a síndrome de Down não é uma doença, mas uma condição da pessoa associada a algumas questões para as quais os pais devem estar atentos desde o nascimento da criança”, acrescenta Maria Antônia Goulart.

As pessoas com síndrome de Down têm muito mais em comum com o resto da população do que diferenças. “Se você é pai ou mãe de uma pessoa com síndrome de Down, o mais importante é descobrir que seu filho pode alcançar um bom desenvolvimento de suas capacidades pessoais e avançará com crescentes níveis de realização e autonomia. Ele é capaz de sentir, amar, aprender, se divertir e trabalhar. Poderá ler e escrever, deverá ir à escola como qualquer outra criança e levar uma vida autônoma. Em resumo, ele poderá ocupar um lugar próprio e digno na sociedade”, complementa Goulart.

Eventos dedicados à síndrome de Down

31/3 – 19h

I Corrida Luar da Manguaba

Em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down, teremos a categoria Kids, os participantes devem ter idade entre 03 a 12 anos e a largada acontece às 19h. Também nesta categoria teremos a participação das crianças atendidas pelo Instituto Life Down. Já na categoria 5km Geral, a idade mínima para os participantes é de 16 anos e a largada acontece às 19h30.

Organização: Prefeitura de Marechal Deodoro e Instituto Life Down

Local: Barra Nova – Pier Zero 8 – Marechal Deodoro – AL

Contato: institutolifedownbrasil@gmail.com

 

Deixe o seu comentário