22 de junho de 2015 • 12:46 pm

Cotidiano

Sinteal: a educação não vai abrir mão dos 13,01% de reajuste salarial

Não havendo acordo até o dia 25 os servidores podem deflagrar uma greve geral no Estado.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Sinteal mobiliza educação para a greve geral.

Sinteal mobiliza educação para a greve geral.

É delicado o momento vivido pelo governo Renan Filho (PMDB), no primeiro embate da gestão com os servidores públicos. O Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinteal) garante que não vai abrir do reajuste de 13% para os professores e demais associados da entidade.

Na última reunião com representantes do governo,  a proposta apresentada pelo palácio de 5% parcelados até dezembro foi considerada insignificante. Pior que isso. Causou indignação nas lideranças sindicais e logo foi rejeitada.

“O que estamos vendo é uma reedição piorada do (des)governo anterior”, disse Célia Capistrano, vice-presidente do Sinteal, ao repassar as informações para a base na porta do palácio. “Se o governo quer luta, vai ter luta! A Educação não abre mão dos 13,01% de reajuste salarial”. A manifestação da líder sindical soou como uma declaração de guerra.

Os trabalhadores da educação também fazem assembleia geral no próximo dia 25, assim como os policiais militares, bombeiros e polícia civil. As demais categorias de servidores estão reivindicando o IPCA de 6,41% em no máximo duas parcelas. Não havendo acordo até lá, os servidores podem deflagrar uma greve geral no Estado.

 

Deixe o seu comentário