15 de setembro de 2015 • 8:32 am

Economia

Soja começa a ocupar áreas onde havia cana de açúcar no Estado

Área de produção da soja já atinge 400 hectares em 5 municípios canavieiros.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Estado cultiva 48 tipos de soja.

Estado cultiva 48 tipos de soja.

Cerca de 48 tipos de variedades de soja estão sendo desenvolvidos em Alagoas pela Secretaria de Agricultura, em parceria com a Embrapa, para a criação de um banco de sementes que possa atender ao País. Essa pelo menos é a expectativa do secretário Álvaro Vasconcelos, titular da pasta estadual.

As 48 variedades de soja foram plantadas em uma área particular de aproximadamente 30 hectares. Segundo o proprietário da terra, Edilson Maia, o plantio da soja em Alagoas é economicamente viável, trazendo ainda benefícios para a cana-de-açúcar a partir da renovação do solo.

“Eu plantava soja há 20 anos, mas acabei priorizando a cana. A soja está voltando a Alagoas, mas não para competir com a cana, não para tirar espaço, mas para somar. Acredito que o único caminho para aumentar o volume e a produtividade da cana em Alagoas seja o rodízio do plantio com o milho e a soja. Não tenho dúvidas de que a soja chegou para dar uma grande contribuição para o agronegócio no Estado”, disse Maia.

Atualmente, o cultivo da soja ocupa uma área de 400 hectares, principalmente nos municípios de São Miguel dos Campos, Campo Alegre, Teotônio Vilela, Junqueiro e Porto Calvo. De acordo com o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Antônio Dias Santiago, os experimentos apontam uma boa produtividade de soja nessas regiões, até maior que a média nacional.

“Nossa preocupação é apontar soluções para diversificar a agricultura em Alagoas. A diversificação é a chave da sustentabilidade das lavouras. Como a soja é uma leguminosa, ela favorece a cana se plantada em consórcio, pois seu resto cultural serve de adubação orgânica substituindo parte do fertilizante nitrogenado usado na cana”, disse o pesquisador.

Para o secretário de Estado da Agricultura, Álvaro Vasconcelos, a diversificação da produção rural em Alagoas representa a garantia de superação da atual crise econômica vivenciada pelo Estado.

“Queremos a diversificação, não a substituição da cultura da cana, que continua tendo importância fundamental para o Estado. Com o milho, temos a possibilidade de atender a um mercado extenso. Nossa intenção é produzir este pelo menos o dobro ou o triplo do que foi produzido na safra passada, e aumentar gradualmente esse volume até sermos autossuficientes e podermos vender para outros estados”, disse o secretário.

 

Deixe o seu comentário