7 de fevereiro de 2017 • 3:21 pm

Esportes

Jogos entre CSA e CRB serão transferidos para o interior e com torcida única

Alteração é válida apenas para os jogos do Campeonato Alagoano. Já sobre a Copa do Nordeste, o confronto de volta foi confirmado no Rei Pelé. Falta apenas decidir se os portões serão abertos para as duas torcidas ou apenas para a do mandante.

Por: Vinicius Firmino
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Coronel Lima Júnior anunciou decisão na manhã desta terça-feira, dia 7. Foto: Felipe Brasil

Durante uma coletiva concedida pelo coronel e secretário de Segurança Pública de Alagoas (SSP-AL), Paulo Domingos de Araújo Lima Júnior, os clássicos das multidões, entre CSA e CRB, válidos pelo Campeonato Alagoano para os próximos dias 12 de fevereiro e 26 de março, irão acontecer no interior do Estado com torcida única. A decisão aconteceu conjuntamente com a Federação Alagoana de Futebol (FAF) e a Promotoria do Torcedor do Ministério Público de Alagoas.

O secretário ainda acrescentou que o duelo de volta, das equipes, pela Copa do Nordeste, programado para ocorrer no dia 12 de  março, será realizado no Estádio Rei Pelé. Só falta definir se os portões serão abertos para as duas torcidas ou apenas para a do mandante, neste caso o CSA. Será necessário outra reunião para debater e tomar esta decisão.

“Os atos de rivalidade que envergonham Alagoas e o futebol não são protagonizados pelos torcedores, mas por bandidos disfarçados que usam o título de torcedor para prejudicar a sociedade, e isso nós não vamos permitir”, garantiu o secretário Lima Júnior.

Com o mesmo pensamento que o secretário, a promotora de Justiça, Sandra Malta, destacou que essa é a melhor forma de garantir a segurança dos verdadeiros torcedores.

“Essa medida como forma de garantir a segurança de todos, fora e dentro de campo. Recebemos várias denúncias e assistimos vídeos contendo ações violentas de agressores travestidos de torcedores. Não podemos permitir que esse tipo de coisa volte a acontecer. Isso precisa acabar”, declarou a promotora de Justiça Sandra Malta.

Deixe o seu comentário