16 de outubro de 2015 • 8:33 am

Brasil

STF decide investigar contas secretas de Eduardo Cunha na Suíça

Cerco se fecha e ele é intimado a pagar US$ 80 milhões pelos danos causados à Petrobrás.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A situação do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) se complicou de vez com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de investigar as contas secretas do parlamentar em bancos da Suíça.

Ministro Teori Zavascki aceitou pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de abertura de investigação contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sobre contas na Suíça atribuídas a Cunha, sua mulher, Claudia Cruz, e sua filha, Danielle Cunha.

De acordo com investigadores da Lava Jato dizem que os valores podem ser fruto do recebimento de propina em um contrato da Petrobras na compra de um campo de petróleo em Benin, na África, avaliado em mais de US$ 34 milhões.

A abertura de inquérito foi requerida  pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O pedido de investigação foi baseado em informações sobre contas na Suíça atribuídas a Cunha. Na semana passada, o Ministério Público da Suíça enviou ao Brasil documentos que mostram a origem do dinheiro encontrado nas contas atribuídas a Cunha.

Com a abertura de inquérito, Eduardo Cunha passa a ser alvo de dois processos no Supremo, originados a partir das investigações da Operação Lava Jato. Em agosto, Janot denunciou o presidente da Câmara dos Deputados pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Na denúncia apresentada ao Supremo, Janot afirmou que Eduardo Cunha recebeu U$S 5 milhões por meio de empresas sediadas no exterior e de fachada em um contrato de navios-sonda da Petrobras.

O procurador também pediu que Cunha pague U$S 80 milhões pelos danos causados à Petrobras. Janot acusa Cunha de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Deixe o seu comentário