6 de maio de 2015 • 7:08 am

Brasil

STF determina busca e apreensão no gabinete de Eduardo Cunha

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é suspeito de se beneficiar do esquema de corrupção da Petrobras e está entre os 50 investigados com inquéritos no Supremo.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Brasil – O Supremo Tribunal Federal determinou uma operação de busca e apreensão no gabinete do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele é suspeito de se beneficiar do esquema de corrupção da Petrobras e está entre os 50 investigados com inquéritos no Supremo. O STF atendeu pedido do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. A ordem judicial foi assinada pelo Ministro Teori Zavascki.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) tem reiterado em contatos com a imprnsa que não aeita ser investigado nesse caso e, segundo ele, o procurador Janot estaria de “querelas” com ele. No caso específico da determinação judicial consta que Cunha aparece nos registros da Câmara como “autor” de  (requerimento que teria sido usado para chantagear empresa, conforme disse o doleiro Alberto Youssef, em delação premiada. O presidente da Câmara teria apresentado pedido para investigar uma fornecedora da Petrobrás, a Mitusi, depois que a empresa sustou o pagamento das propinas.

No inicio desta semana, o peemedebista presidente da Câmara dos Deputados acusou Rodrigo Janot de ter “opinião formada” sobre seu caso. Cunha rechaça a decisão do procurador-geral da República de pedir ao STF que dê continuidade ao inquérito sobre sua participação no esquema investigado pela Operação Lava Jato.

Além de dizer que o procurador está agindo por “querela pessoal”, Eduardo Cunha diz ainda que o Ministério Público está se baseando apenas em matérias jornalísticas para lhe criar constrangimentos.

 

 

Deixe o seu comentário