12 de julho de 2016 • 8:48 am

Cotidiano

Superfaturamento no canal do sertão envolve empreiteira e gestores

TCU encontrou indícios de superfaturamento na ordem de R$ 119 milhões

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

As construtoras OAS, Odebrecht e Queiroz Galvão são acusadas pelo Tribunal de Contas da União  de terem superfaturado as obras do canal do sertão.

Canal do sertão: indícios de superfaturamento.

Canal do sertão: indícios de superfaturamento.

De acordo com o levantamento do TCU há indicios de um sobrepreço na ordem de r$ 119 milhões, desde a origem da construção do canal.

As construtoras  teriam cobrado do governo valores  acima do mercado do Nordeste. Para a construção do trecho 3, já inaugurado, do trecho 4, ainda em construção, e até do trecho 5, onde a obra nem começou.

O governo de acordo com o TCU, teria pago, com a anuência da fiscalização da caixa e da Seinfra estadual, pelo metro quadrado de concreto, 127% mais.

Sem falar que a escavação, carga e descarga de material foram superfaturados entre 102% a 152%; a mão de obra, 22% a 31%; os tubos de aço, de 20% a 36%; e a brita, incluindo o transporte, 31% a 113%.  Resultado: O TCU bloqueou os recursos do trecho 5, que está licitado e contratado, e quer a devolução dos valores superfaturados.

Eis mais um caso que vai parar no âmbito do Ministério Público onde empreiteiros e gestores estaduais e federais deverão responder pelos desmandos.

Deixe o seu comentário


Publicidade