17 de maio de 2016 • 1:07 pm

Policia

Suspeito em mais de 30 assassinatos ex-sargento ganha direito a semi-aberto

Depois de cumprir mais de um sexto da pena de 15 anos de reclusão à qual foi condenado, Raimundo Medeiros foi autorizado a sair do presídio e ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Depois de cumprir mais de um sexto da pena de apenas 15 anos de reclusão ao qual foi condenado em um dos diversos crimes de que é acusado, o ex-sargento da Polícia Militar de Alagoas Raimundo Edson da Silva Medeiros, obteve direito ao regime semi-aberto. O benefício foi autorizado pelo juiz da 16ª Vara Criminal da Capital e de Execuções Penais, José Braga Neto. Medeiros será monitorado por tornozeleira eletrônica.

O ex-sargento é acusado de matar um promotor de justiça, um assessor parlamentar, um policial civil e um estudante. A polícia o define como um matador cruel. Medeiros é acusado de participação nas mortes do promotor de Justiça da cidade de Água Preta, interior de Pernambuco, Rossini Couto; do assessor parlamentar Cícero Sales Belém, assassinado em novembro de 2005, num trecho da Avenida Durval de Góes Monteiro, em Maceió; do policial civil Alfredo de Souza Pontes, o “Alfredinho”, morto em 2008, no bairro do Poço, em Maceió. Há suspeitas de que o ex-militar seja responsável por cerca de 30 assassinatos, cometidos em Alagoas e Pernambuco.

A concessão do regime semiaberto teve parecer favorável do Ministério Público Estadual, e é justificada pelo cumprimento de mais de um sexto da pena, um benefício previsto na Lei de Execuções Penais (Lei 7.210/84).

Deixe o seu comentário