17 de Maio de 2016 • 1:07 pm

Policia

Suspeito em mais de 30 assassinatos ex-sargento ganha direito a semi-aberto

Depois de cumprir mais de um sexto da pena de 15 anos de reclusão à qual foi condenado, Raimundo Medeiros foi autorizado a sair do presídio e ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Depois de cumprir mais de um sexto da pena de apenas 15 anos de reclusão ao qual foi condenado em um dos diversos crimes de que é acusado, o ex-sargento da Polícia Militar de Alagoas Raimundo Edson da Silva Medeiros, obteve direito ao regime semi-aberto. O benefício foi autorizado pelo juiz da 16ª Vara Criminal da Capital e de Execuções Penais, José Braga Neto. Medeiros será monitorado por tornozeleira eletrônica.

O ex-sargento é acusado de matar um promotor de justiça, um assessor parlamentar, um policial civil e um estudante. A polícia o define como um matador cruel. Medeiros é acusado de participação nas mortes do promotor de Justiça da cidade de Água Preta, interior de Pernambuco, Rossini Couto; do assessor parlamentar Cícero Sales Belém, assassinado em novembro de 2005, num trecho da Avenida Durval de Góes Monteiro, em Maceió; do policial civil Alfredo de Souza Pontes, o “Alfredinho”, morto em 2008, no bairro do Poço, em Maceió. Há suspeitas de que o ex-militar seja responsável por cerca de 30 assassinatos, cometidos em Alagoas e Pernambuco.

A concessão do regime semiaberto teve parecer favorável do Ministério Público Estadual, e é justificada pelo cumprimento de mais de um sexto da pena, um benefício previsto na Lei de Execuções Penais (Lei 7.210/84).

Deixe o seu comentário