6 de outubro de 2015 • 11:36 am

Brasil

TCU julga “pedaladas” da presidente Dilma nesta quarta-feira.

Governo pediu a suspeição do relator, Augusto Nardes, e o acusa de preparar golpe em conluio com oposição.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Pleno julga contas de Dilma

Pleno julga contas de Dilma

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu manter na amanhã, quarta-feira, o julgamento das contas da gestão da presidenta Dilma Rousseff relativas a 2014, em análise que inclui as chamadas “pedaladas fiscais”, artifício contábil supostamente executado para maquiar a situação fiscal do governo.

Mas,  o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, entregou ao presidente do TCU, Aroldo Cedraz, pedido de arguição de suspeição do relator desse processo, ministro Augusto Nardes, com a alegação de que ele atua politicamente no caso.

A ideia do governo era fazer com que o TCU analisasse o pedido de arguição antes do julgamento de quarta-feira, mas os ministros da corte se reuniram e decidiram manter a sessão plenária. No entanto, também ficou acertado que a demanda da AGU seria analisada como uma questão preliminar no dia do julgamento, em uma sinalização de que o pedido de afastamento de Nardes será rejeitado.

A iniciativa da Advocacia-Geral da União (AGU) poderia resultar em novo adiamento da sessão plenária que julgará as contas de Dilma, e foi vista por setores da oposição como manobra para deslegitimar o parecer de Nardes, que recomenda a rejeição das contas – em antecipação que, segundo a AGU, fere a Lei Orgânica da Magistratura.

Já políticos da base aliada no Congresso, como a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), elevaram o tom das críticas ao ministro e o acusaram de agir em conluio com a oposição, de maneira “golpista”, para provocar o impeachment de Dilma.

Deixe o seu comentário