18 de maio de 2017 • 5:00 pm

Brasil

Temer desiste de renunciar e quer base aliada apoiando seu governo

Presidente fez pronunciamento de 5 minutos para tentar convencer que é honesto

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Em pronunciamento ao vivo na tarde desta quinta-feira,18, o presidente Michel Temer, agora formalmente investigado no Supremo Tribunal Federal (STF), negou ter comprado o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso e condenado a 15 anos e quatro meses de prisão por envolvimento na Operação Lava Jato.

Durante cinco minutos, o peemedebista convocou correligionários e a imprensa para o comunicado, no Palácio do Planalto, e disse que não renunciará ao mandato.

Temer se referiu às denúncias dos donos da JBS, que constam de conjunto probatório de delação premiada já homologada no STF, como “conversa gravada clandestinamente” que trouxe à tona, mais uma vez, o “fantasma de crise poítica”.

“Repito e ressalto: em nenhum momento solicitei ou comprei o silêncio de ninguém. Por uma razão singelíssima: não temo nenhuma delação”, declarou Temer, acrescentando que não precisa de foro privilegiado.

Temer disse já ter solicitado às autoridades acesso às investigações da Lava Jato, transformadas hoje (quinta, 18) em inquérito no Supremo. “Até o presente momento não consegui [acesso aos documentos].

Quero deixar muito claro que meu governo viveu, nesta semana, seu melhor e seu pior momento”, disse o presidente, no começo do discurso, referindo-se à suposta melhoria dos indicadores econômicos. “Todo o imenso esforço de tirar o país dessa recessão pode ter se mostrado inútil.”

Para o peemedebista, as investigações que o envolvem no petrolão serão “território em que aparecerão todas as explicações”.

Deixe o seu comentário