19 de Abril de 2016 • 8:17 am

Brasil

Temer é citado na Lava Jato como beneficiário de R$ 5 milhões

Dois delatores citaram o vice-presidente de ter recebido propina do esquema

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP), que pode assumir a Presidência em caso de impeachment de Dilma Rousseff, já foi citado por dois delatores da Lava Jato como padrinho de diretorese beneficiário de  R$ 5 milhões dos esquemas de propina na Petrobras.

Temer e Cunha pela salvação.

Temer e Cunha: no esquema.

Ele aparece nos acordos do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e do empresário Julio Camargo, que confessou ter pago propina a integrantes do PMDB, entre os quais o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Delcídio responsabiliza o vice pela indicação de João Augusto Henriques, preso em Curitiba, na BR Distribuidora, cargo que ocupou entre 1997 e 2000, no governo de Fernando Henrique Cardoso, que teria montado esquema de propina sobre o etanol.

Temer também teria indicado Jorge Zelada em 2008 para a diretoria internacional da Petrobras. Ele foi condenado a 12 anos de prisão, acusado de ter desviado US$ 31 milhões para o PMDB e para si próprio.

Os investigadores encontraram também uma mensagem no celular de um dos sócios da OAS, Léo Pinheiro, que cita um pagamento de R$ 5 milhões a Temer, segundo denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República contra Eduardo Cunha.

O procurador-geral, Rodrigo Janot, escreveu na acusação ao Supremo que “Eduardo Cunha cobrou Léo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a ‘turma'”. Temer diz que os R$ 5 milhões foram doação legal.

O nome de Temer é citado várias vezes também em planilhas da Camargo Corrêa na Lava Jato e na operação Castelo de Areia. Em investigações arquivadas, foi acusado duas vezes de desvios de recursos do porto de Santos.

Acusado de conspirador pela presidente Dilma Rousseff, Temer tem atuado abertamente ao lado de Eduardo Cunha para assumir o poder, num golpe que já virou mico global. Réu no processo da Lava Jato no STF, Cunha foi citado desta vez em delação do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró. Ele confirmou que o [lobista] Fernando Soares [o Baiano] conseguiu, através de um apoio de Cunha, receber parte da propina da Samsung pela contratação de navios-sonda da estatal.

Deixe o seu comentário