8 de agosto de 2017 • 3:50 pm

Brasil

Temer gastou R$ 943 milhões com 137 deputados para barrar denúncia

O dinheiro saiu via emendas. o deputado alagoano Arthur Lira foi contemplado com R$ 1,2 milhão

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Na articulação para barrar a abertura de processo por corrupção passiva, Michel Temer recebeu ao menos 137 deputados. Ao todo, esse grupo teve R$ 943 milhões de emendas ao Orçamento liberadas. Os nomes estão listados na agenda oficial do presidente.

Emendas são verbas que congressistas podem usar em suas bases eleitorais. Normalmente, para obras públicas –que dão visibilidade e atraem votos.

O presidente conseguiu que parte de sua base de apoio no Congresso se mantivesse coesa e ajudasse a impedir a admissibilidade da denúncia com 263 votos favoráveis e mais 20 ausências e abstenções.

Desses 283 deputados que ajudaram o presidente a se salvar de um possível afastamento da Presidência da República, 119 tiveram audiências com Temer de 26 de junho de 2017 a 2 de agosto de 2017. Eis a lista completa dos congressistas que se reuniram com o peemedebista.

A contabilidade leva em consideração os encontros listados nominalmente. Alguns, como almoços e jantares, não citam todos os presentes e não foram contabilizados. Ou seja, a taxa de sucesso do presidente pode ter sido ainda maior. Na véspera da votação, o Planalto estimava sempre ter cerca de 200 votos explícitos a seu favor. Acabou conseguindo 263.

Da lista de 137 deputados que se reuniram com o presidente, 14 tiveram mais de R$ 10 milhões de emendas ao Orçamento liberadas. Os 5 que lideram o ranking são: 1) Leonardo Quintão (PMDB-MG; R$ 10.871.653,00), 2) Domingos Neto (PSD-CE; R$ 10.722.953,00), 3) Giacobo (PR-PR; R$ 10.682.340), 4) Aluisio Mendes (Podemos-MA; R$ 10.469.538,00), e 5) André Fufuca (PP-MA; R$ 10.389.888,00).

 (poder360)

Deixe o seu comentário