4 de junho de 2017 • 8:58 am

Brasil » Corrupção

Temer para o País: “Se quiserem que eu saia têm que me matar”

A declaração de Temer teria sido feita ao presidente do Senado, Eunício Oliveira, segundo Lauro Jardim

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

O jornalista de O Globo, Lauro Jardim, traz outra revelação importante neste domingo, 04, sobre uma conversa do presidente Michel Temer com o presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira, ambos do PMDB. Segundo Jardim, o senador foi a Temer pedir para ele renunciar ao cargo e ele teria mandado o seguinte recado ao Brasil:

– Fique tranquilo, não vou renunciar, não vou sair. Vou recorrer até o fim. Se quiserem que eu saia, têm que me matar.

Temer: daqui não saio…

Apegado ao cargo, Temer será o primeiro ocupante da presidência da República na história do Brasil – e de qualquer país minimamente civilizado – denunciado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial, que evita a renúncia e se mantém no poder por um ato de vontade.

Ao sugerir que só deixa o cargo, após todas os crimes cometidos em meio a um Congresso inerte, se for assassinado, ele se assume postura de um ditador tresloucado.

O jornalista Lauro Jardim, que trouxe esta notícia hoje em sua coluna, foi primeiro a publicar as delações da JBS, que revelaram o a corrupção explícita na calada da noite do Planalto.

Preso – Ontem, seu ex-assessor Rodrigo Rocha Loures, que recebeu uma mala com propinas de R$ 500 mil da JBS, foi preso. Segundo delatores da empresa, o dinheiro era destinado a Temer.

Na tragédia nacional, as forças que deram o golpe ainda não encontram uma forma de se livrar do desastre criado para o Brasil. Principalmente o PSDB, que flagrado e atolado até o pescoço na corrupção, faz a sustentação de um presidente não menos corrupto.

Deixe o seu comentário