5 de dezembro de 2016 • 11:55 am

Brasil

Governo vai anunciar novo pacote econômico com mais arrocho para superar crise

Com o governo parado, Temer é cobrado pelos próprios aliados que o colocaram no poder.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Com o governo estagnado, mas poupado pelos organizadores dos protestos realizados nesse domingo (4) em todo o país, o presidente Michel Temer reconheceu a insatisfação de seus aliados, especialmente os tucanos, como os rumos da economia, prometeu lançar um pacote na tentativa de retomar o crescimento e negou que cogite trocar o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O novo pacote deve arrochar ainda mais empresas e trabalhadores.

Em entrevista ao colunista Jorge Bastos Moreno, do Globo, Temer afirmou que mudar o titular da Fazenda agora é um desserviço ao país e que aposta em Meirelles para elaborar dez medidas microeconômicas – mas não especificou que iniciativas seriam essas.

 

“Falar em troca de ministro da Fazenda agora não é um desserviço apenas ao governo, mas ao país. Por isso, quero desfazer de forma contundente, categórica, todas as iniciativas danosas nesse sentido”, declarou. Segundo ele, o ministro da Fazenda é “portador da mais absoluta confiança e apoio do presidente da República”. O presidente admitiu que há “movimentações”, entre aliados, para a substituição de Meirelles, mas disse que esse tema jamais foi apresentado diretamente a ele.

“O que tem havido, e isso não posso negar, são ponderações no sentido de que o governo, pelo curto espaço que tem, não pode esperar de braços cruzados a retomada do crescimento econômico, prevista somente para o segundo semestre do próximo ano. Concordo, mas aviso: essa tem sido também uma preocupação constante não só minha, mas principalmente do ministro da Fazenda.”

Segundo o Globo, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do PSDB, senador Aécio Neves (MG), estão entre os aliados que mais defendem mudanças na Fazenda. O líder do PMDB, Eunício Oliveira (CE), e o líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), e o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) também são apontados como apoiadores de Temer que querem a saída de Meirelles.

De acordo com a reportagem, o assunto foi discutido em encontro com parte da bancada tucana na residência de Renan, no domingo da semana passada, do qual o presidente participou. “Realmente recebi no meu gabinete os senadores Tasso Jereissati, José Aníbal (PSDB-SP), Armando Monteiro (PTB-PE) e Ricardo Ferraço (PSDB-ES). Eles pediram medidas que possam impulsionar o crescimento, alegando que não dá mais para esperar até o segundo semestre. Gravei bem uma expressão do senador José Aníbal de que ‘cabe ao dono cuidar da padaria’.”

Os tucanos querem que Temer ouça mais o secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto de Almeida, um dos principais mentores do PSDB na economia. O peemedebista prometeu ouvir não só Mansueto como outros economistas. “Estou te dizendo que Meirelles tem minha total confiança. E, para ele, nem preciso dizer. Ele sabe que tem o meu apoio e confiança.”

Deixe o seu comentário