26 de Março de 2017 • 11:22 am

Brasil

Téo Vilela é acusado de receber R$ 3 milhões de propina da Odebrecht

Delator diz que ex-governador cobrou 2,5% de propina do contrato do canal do sertão

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O mundo dos tucanos na Operação Lava jato começa a desabar a cada delação premiada de empresários na Operação Lava jato. A mais nova foi revelada pelo jornal Folha de S. Paulo e diz que o ex-governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) recebeu uma propina de R$ 2,8 milhões por sua atuação em favor das empreiteiras na construção do canal do sertão.

Téo: propina de R$ 3 milhões.

O ex-governador de Alagoas foi acusado por executivos da Odebrecht que participaram do consórcio para construção dos primeiros 50 quilômetros do canal do sertão, durante o governo de Luis Inácio Lula da Silva.

Desta feita, pelo que dizem os delatores, a propina de de Vilela não foi para campanha eleitoral, mas simplemente por ele ter ajudado as empreiteiras a instalarem o canteiro de obras no sertão alagoano.

Segundo disse o delator na Procuradorua Geral da República, o ex-governador de Alagoas cobrou 2,5% de propina dos contratos na obra. Ainda de acordo com os delatores o dinheiro da propina foi repassado ao próprio Vilela e mais dois agentes da Secretaria de Infraestrutura do Estado. Um dos delatores foi João Pacífico, executivo da Odebrecht no Nordeste.

 

 

Deixe o seu comentário