16 de dezembro de 2015 • 1:36 pm

Blogs » Fátima Almeida

Teria sido o dedo de Deus?

Delegado descarta todas as hipóteses que poderiam explicar a causa do acidente com o helicóptero da Polícia e deixa o caso sem resposta.

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

dedoInteressante a conclusão (inconclusa) do inquérito da Polícia Civil que investigou a queda do helicóptero da Polícia Militar. Não tanto pelas hipóteses levantadas nesses quase três meses de investigação. Mas pelo descarte de todas elas pelo delegado Manoel Acácio, da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic), que presidiu o inquérito.

Ele disse que a manutenção da aeronave estava em dia, assim como todas as inspeções e documentações – e descartou falha técnica ou mecânica;

Que a os documentos dos pilotos estavam em ordem, e descartou falha humana operacional;

E destacou que os laudos cadavéricos mostram que as mortes foram consequência do acidente e não a causa, já que o piloto morreu em decorrência de carbonização, e os outros três tripulantes tiveram traumatismo craniano como causa do óbito. Com isso, ele descartou, também a possibilidade de um mal súbito ter provocado a queda da aeronave.

Por fim, descartou, também a hipótese de que o helicóptero tenha sido derrubado por algum grupo criminoso.

E só…

Um leitor atento pergunta: E o que, então, provocou a queda da aeronave e a morte dos quatro pilotos?

Sem respostas, ele mesmo arrisca: Teria sido o dedo de Deus?

???

SOBRE O ACIDENTE

O helicóptero caiu no bairro de Santa Lucia, na região do Tabuleiro, próximo ao Aeroclube de Maceió, no dia 23 de setembro, logo após ter decolado para uma operação de patrulhamento na área.

Morreram no acidente o capitão PM Mário Henrique de Assumpção, os soldados PM Diogo de Melo Gonzaga e Marcos de Moura Pereira,  e o major do Corpo de Bombeiros Milton Carnaúba Gomes Paiva.

 

1 Comentário

  1. Armando disse:

    Um caso para o DETETIVE DO ALEM!!!

Deixe o seu comentário