10 de Maio de 2016 • 12:10 pm

Justiça

Data base: Trabalhadores da Justiça cobram definição do TJ

Pauta entregue em dezembro passado, a categoria reivindica 12,28% de aumento (correspondente à reposição da inflação mais 2% de aumento real), além de reajuste do auxílio-alimentação no percentual de 13,55%.

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
Primeira rodada de negociação, em janeiro (Foto: Ascom Serjal)

Primeira rodada de negociação, em janeiro (Foto: Ascom Serjal)

Com data-base no mês de janeiro, os trabalhadores da Justiça alagoana ainda não tiveram definido o índice de reposição salarial para este ano. Num ofício encaminhado ontem (9),  ao presidente do Tribunal de Justiça (TJ-AL), desembargador Washington Luiz, a diretoria do Sindicato dos Servidores do Judiciário de Alagoas (Serjal), pede celeridade no fechamento da negociação coletiva, com a definição e implantação do reajuste salarial dos servidores.

Na pauta entregue em dezembro passado, a categoria reivindica 12,28% de aumento (correspondente à reposição da inflação mais 2% de aumento real), além de reajuste do auxílio-alimentação no percentual de 13,55%. A negociação entre o sindicato e a presidência do TJ chegou a ser iniciada,  mas nas primeiras rodadas o presidente do TJ alegou a indefinição do Orçamento do Estado, que só foi sancionado no dia 13 de abril.

Desde então, a diretoria do Serjal tem aguardado a contraproposta do Tribunal,  e insistido no avanço da negociação.

“No mesmo dia em que o Orçamento foi publicado, protocolamos ofício no TJ, solicitando celeridade na negociação; o desembargador presidente disse que estava aguardando estudos financeiros e que tão logo os tivesse em mãos, chamaria o sindicato para conversar. Mas até agora nada aconteceu. Acreditamos na sensibilidade do desembargador Washington para a situação dos servidores, lembrando que já estamos chegando ao meio do ano, sem que a categoria tenha uma definição quanto ao reajuste salarial que deveria ter sido implantado em janeiro”, destaca Raquel Faião, presidente do Serjal.

Deixe o seu comentário