10 de Maio de 2016 • 11:42 am

Cotidiano » Educação » Maceió » Serviços Públicos

Trabalhadores da Educação paralisam atividades por 24 horas

Dia de mobilização será marcado por uma série de atividades em todo o país

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Não houve aula na maioria das escolas da rede pública, nesta terça-feira. Trabalhadores da Educação paralisaram em Alagoas,  durante o dia de hoje, juntando-se ao protesto nacional contra o Projeto de Lei Complementar (PLC) 257, que está na pauta da Câmara federal, pronto para ser votado.

Na avaliação do movimento sindical, o projeto adota uma política de ajuste fiscal e controle de gastos que reduz o papel do Estado; congela salários; estimula a privatização; corta direitos dos servidores públicos; e inviabiliza a realização de concursos públicos.

Leia a PLC 257 na íntegra.

Na convocação feita pelo Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), o destaque do movimento é a luta contra a desvinculação dos recursos da Educação, a reforma da Previdência, a privatização de serviços públicos e  a política de bônus. Mas tem, também, o enfoque da pauta local.

Foto: Ascom Sinteal

Foto: Ascom Sinteal

A entidade realizou assembleia geral,  hoje pela manhã, na sede do Sindicato, no bairro do Mutange, onde avaliou os resultados da audiência com as secretarias de Estado da Educação (Seduc), Planejamento e Gestão (Seplag) e Fazenda (Sefaz) e discutiu encaminhamentos de luta e mobilização. 

Às 14h, os servidores se concentram em frente à Assembleia Legislativa Estadual (ALE), na praça Dom Pedro II, onde vão acompanhar a votação dos vetos ao Plano Estadual de Educação (PEE).

Depois disso, devem realizar uma passeata, às 16h, no calçadão do comércio.

Deixe o seu comentário