21 de junho de 2017 • 10:28 pm

Corrupção » Política

Triângulo das Bermudas: Celso Luiz e mais seis são denunciados pelo MPF

Preso desde maio, o ex-prefeito de Canapi deve responder pelos crimes de lavagem de dinheiro, desvio de verbas públicas e organização criminosa

Por: Da Redação com Assessoria
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Celso Luiz: preso e denunciado pelo MPF

Num desdobramento da operação Triângulo das Bermudas, o Ministério Público Federal em Alagoas (MPF/AL) denunciou, através da Procuradoria da República no Município de Arapiraca (PRM), o ex-prefeito do município de Canapi, Celso Luiz Tenório Brandão, o ex-vice-prefeito Genaldo Soares Vieira, o ex-secretário municipal de Finanças Carlos Alberto dos Anjos Silva e o ex-secretário municipal de Assuntos Estratégicos Jorge Valença Neves Neto, presos desde maio, pelos crimes de lavagem de dinheiro, desvio de verbas públicas federais e organização criminosa. Além deles, outras três pessoas também, foram denunciadas.

Segundo foi divulgado pela assessoria do MPF, neste primeiro momento está sendo apresentada uma denúncia parcial, considerando que há réus presos e que a complexidade dos fatos demandam mais investigações e análises por parte do órgão ministerial. Também foi solicitada a manutenção da prisão preventiva dos quatro denunciados que se encontram recolhidos no sistema prisional, sob o argumento de que, soltos, eles poderão atuar para atrapalhar a investigação, como, segundo o MPF, teria ocorrido antes das prisões.

As investigações apontam indícios de que os denunciados foram responsáveis pelo desvio de mais de R$ 15 milhões em verbas de precatórios do extinto Fundef (atual Fundeb) pagas pela União, e que deveriam ser utilizadas exclusivamente na Educação. Mas na avaliação do Ministério Público, antes disso um grande volume de recursos já vinha sendo desviado pela organização criminosa. 

De acordo com as investigações, os recursos eram transferidos das contas do Fundef/Fundeb para outras contas do município ou diretamente para contas de “laranjas” – geralmente pessoas pobres e de pouco estudo – e a partir dessas contas particulares ou da própria conta pública da prefeitura, novas transferências ou saques em espécie eram realizados. 

Para o MPF, o ex-prefeito Celso Luiz atuou como chefe da organização criminosa enquanto os demais denunciados foram operadores do esquema de desvio dos recursos públicos. 

HISTÓRICO

Em 2016, a Justiça bloqueou as contas do município de Canapi após constatar as transferências indevidas de mais de R$ 10 milhões (R$ 8 milhões no exercício de 2015, e RS 2 milhões no exercício de 2016), para contas de terceiros. Celso Luiz foi afastado do cargo, mas no final de 2016, o vice-prefeito que assumiu a prefeitura com o afastamento de Celso, desviou o restante das verbas do precatório.

Os recursos desviados ainda não foram localizados.

Deixe o seu comentário