28 de Abril de 2015 • 12:14 pm

Política

Tribunal de Justiça analisa denúncias contra dois prefeitos

O Tribunal de Justiça de Alagoas colocou em pauta, na manhã desta terça-feira, uma ação penal contra a prefeita de Mar Vermelho, Juliana Lopes de Farias Almeida. O Pleno vai decidir…

Por: Marcelo Firmino
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone
O Tribunal de Justiça de Alagoas colocou em pauta, na manhã desta terça-feira, uma ação penal contra a prefeita de Mar Vermelho, Juliana Lopes de Farias Almeida. O Pleno vai decidir se aceita a denúncia formulada pelo Ministério Público Estadual (MPE), que acusa a gestora de supostas práticas de peculato e fraude em licitações.
Na mesma sessão, onde serão julgados pelo menos 20 processos, o TJ também decide sobre o recebimento de denúncia contra o prefeito do município de Campestre, Amar Gilvan de Carvalho, que teria sido flagrado, pela Polícia Militar, portando um revólver e várias munições em seu veículo, e está sendo acusado de porte ilegal de armas.
O processo contra Juliana, tem como relator o desembargador Otávio Praxedes. Já na ação contra Amar Gilvan, a relatoria é do desembargador Sebastião Costa Filho.

 

Joaquim Gomes

Na mesma sessão de hoje, também voltam à pauta do Pleno do TJ, os três mandados de segurança impetrados por vereadores do município de Joaquim Gomes, afastados do cargo após denúncias de suposta participação em esquema de recebimento de propina do prefeito Toninho Batista, em troca de apoio no Legislativo. Oito vereadores foram afastados do mandato, em outubro passado, sob a mesma acusação.

Os parlamentares Cícero Almeida Lira, Antônio Emanuel de Albuquerque Morais Filho e Antônio Márcio Gerônimo da Silva, pedem a anulação da decisão da Câmara, que definiu pelos respectivos afastamentos. Os mandados de segurança já estiveram na pauta de julgamento do Pleno, em outra ocasião, mas foram retirados, em função de um pedido de vistas.

Em casos semelhantes, referentes a outros vereadores de Joaquim Gomes, envolvidos na mesma acusação, o Pleno decidiu pela manutenção do afastamento.

Deixe o seu comentário