11 de agosto de 2016 • 12:02 pm

Brasil » Justiça

TSE abre investigação nas contas da campanha de Aécio Neves

A investigação foi determinada pela ministra Maria Thereza Moura

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Maria Theresa de Assis Moura determinou nesta quarta-feira (11) que os técnicos do tribunal investiguem as contas da campanha eleitoral do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República em 2014. A ministra tomou a decisão cinco dias depois do ministro Gilmar Mendes, presidente do TSE, ter pedido abertura de processo para apurar a contabilidade eleitoral do PT.

Aécio: flagrado na propina.

Aécio: contas suspeitas

A medida contra Aécio Neves foi tomada com base em denúncias feitas pelo PT em abril. De acordo com o partido, a campanha contratou empresas que não tinham capacidade para prestar os serviços. Além disso, segundo o PT, houve “alto volume” de transações bancárias e há indícios de que algumas empresas são de “fachada”, por não terem sido apresentados ao TSE os contratos de prestação de serviços.

Em nota, o PSDB afirmou que não há irregularidades nas contas. “As denúncias apresentadas pelo PT nas prestações de contas do PSDB são totalmente inconsistentes, tendo em seu conteúdo nítido propósito político, e serão todas esclarecidas oportunamente, pois não há qualquer irregularidade nas despesas efetuadas pelo partido”, defende-se o partido.

A ministra Maria Theresa de Assis Moura, por sua vez, justifica que as denúncias são graves e carecem de investigação. “Entendo ser salutar a apuração efetiva de denúncia de fatos graves eventualmente trazidos para a prestação de contas, não só pelo reflexo que podem trazer no julgamento da própria prestação”, escreveu a ministra em sua decisão.

Na denúncia contra Aécio, o PT listou 28 empresas, segundo o partido, criadas em 2014 para prestar serviço para os tucanos. Segundo o PT, apenas 21% das notas ficais desses estabelecimentos foram apresentados pelo PSDB. Há também, de acordo com a denúncia, uma lista com nove empresas que teriam prestado serviço para a campanha de Aécio que teriam sido contratadas sem a capacidade operacional para realizar as tarefas.

 

Deixe o seu comentário


Publicidade