10 de maio de 2015 • 11:37 am

Política

Tucanos copiam a ideia do medo contra o governo em programa de TV

Eis uma briga ferrenha pelo poder que está muito longe de acalmar e de acabar.

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Brasil – Ao seguir a máxima desgastada de que na vida ‘nada cria tudo se copia’, os tucanos colocam no ar, neste domingo 10, as inserções do partido no rádio e na televisão, utilizando o mesmo argumento que o PT usou no passado para conquistar espaços políticos junto opinião pública, quando falava da esperança para vencer o medo. O PSDB utiliza o mesmo método de convencimento usado pelo PT, exatamente  para reforçar uma imagem negativa do adversário.

Os tucanos vão aproveitar o momento de crise econômica para dar o troco. Fomentar o medo do PT junto a classe média, em um discurso mais à direita, é a estratégia tucana do momento. Já em maio do ano passado, quando se aproximavam as eleições gerais, o PT veiculou um filme em que famílias que haviam melhorado de vida, graças aos avanços sociais dos governos petistas, eram confrontadas com imagens do que teria sido seu passado se o governo estivesse nas mãos do PSDB. E essa é uma briga política pelo poder que está longe de acalmar.

No roteiro construído pelo marketing político tucano, a peça de TV apresenta um casal e seus dois filhos – um deles ainda bebê – se abrigam de uma tempestade sob o mesmo guarda-chuva, enquanto um narrador, com voz soturna, elenca o que seriam as ações do governo contra o cidadão brasileiro. Citando as medidas do ajuste fiscal posto em campo pela equipe econômica, o texto tenta demonstrar uma falta de sensibilidade, por parte da gestão petista, em relação ao trabalhador.

Segundo reportagem do jornalista Fábio Góis, do Congresso Em Foco, a “ideia de crueldade recorre a clichês como a chuva renitente e as expressões faciais de sofrimento dos personagens. No caso do PSDB, quando a narração fica ainda mais dramática, o “vilão” (leia-se, governo) entra em cena quando um braço – coberto por manga de terno e camisa social, conotando a ideia de traje de burocratas – retira o guarda-chuva da mão do homem, deixando a família na chuva. A mensagem, segundo as pretensões do PSDB: o governo Dilma abandona o povo à própria sorte”.

Deixe o seu comentário