23 de outubro de 2016 • 10:05 am

Cultura » Entretenimento

Ufal exibe documentários sobre moda e alfaiataria

São duas produções em vídeo, de curta-metragem, que serão exibidas na Escola Técnica de Artes, nesta terça-feira (25)

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Texto: Jorge Barboza

Em Maceió, na terça-feira (25), acontece o evento “Curta Moda”, que reúne dois curtas-metragens do videoprodutor maceioense, radicado em Salvador (BA), Cláudio Manoel Duarte. As duas produções sobre o universo da moda, com foco no vestuário, “Moda.Devir – Das Criações de Carol Barreto” e “Cardoso Alfaiate”, serão apresentadas na sala 2 da Escola de Técnica de Artes da Universidade Federal de Alagoas (a ETA), na Praça Sinimbu, a partir das 9h. A entrada é franca.

Moda.Devir - Modelo Ana Vitória / Foto: Natan Fox (Divugação)

Moda.Devir – Modelo Ana Vitória / Foto: Natan Fox (Divugação)

O vídeo “Moda.Devir – Das Criações de Carol Barreto”, com direção de Claudio Manoel Duarte e direção de fotografia e edição de Gleydson Públio, é documentário de 28 minutos sobre mulher, cultura negra e metodologias de criação em moda. Apresenta depoimentos da pesquisadora, designer e estilista baiana Carol Barreto, pensando e repensando o vestuário ‘como linguagem que produz sentido, a partir da ótica da mulher, em especial da mulher negra’.

claudio-e-gleydson

Claudio Manoel e Gleydson (Divulgação)

‘Complexificando o debate sobre vestimentas, aparências, gênero e raças e etnias’, o vídeo, segundo o Manoel Duarte, coloca a moda ‘numa perspectiva de ativismo’. “É uma moda como produtora/reforço de uma aparência como aquilo que expressa os pertencimentos, as diferenças e os marcadores sociais”, explica o diretor, que é mestre em Cibercultura pela Universidade Federal da Bahia (a Ufba), professor universitário de Cultura, Linguagens e Tecnologias na mesma Ufba e há anos atua como produtor cultural.

O documentário, gravado na Bahia, na capital Salvador e nos municípios de Santiago do Iguape e São Francisco do Paraguaçu, também teve locações em Paris (França). Em 28 minutos, apresenta imagens de desfiles em vários ambientes, com participação de adolescentes das comunidades Quilombolas do Tabuleiro da Vitória, do Engenho da Ponte e de Santiago do Iguape, atuando como modelos.

Mostra, ainda, os bastidores da produção de moda, realizada por estudantes de Artes da Universidade Federal da Bahia e de Design de Moda da tradicional instituição soteropolitana de ensino superior privado, a União Metropolitana de Educação e Cultura (Unime).

Flagrando os preparativos dos desfiles, com troca de roupas e sessões de maquilagem, “Moda.Devir” segue um roteiro partindo dos seis depoimentos temáticos de Carol Barreto. “Este netvídeo é um edudoc, produzido para ser usado livremente em eventos, em escolas e redes digitais, com aplicação de licença CC, a Creative Commons, de uso livre e não comercial e distribuição da mesma licença”, avisa Claudio Manoel Duarte.

A trilha sonora original vem com três faixas: “Devir Rabeca”, “Devir Violino” e “Devir Voice”. Foram produzidas em formato live (ao vivo) pelo DJ Angelis Sanctus (o próprio Claudio Manoel) e as musicistas Laila Rosa e Neila Kadhí. Uma quarta faixa, “Invisível”, é assinada pelo produtor paraibano Chico Correa.

“Cardoso Alfaiate” é um vídeo de oito minutos, produzido em 2014. “Trata-se de um netdoc sobre Carlos Cardoso, um dos últimos profissionais dessa profissão quase em extinção, a alfaiataria, por conta do surgimento do prêt-à-porter”, diz Cláudio Manoel Duarte, que dirigiu no ano passado o documentário “Boca do Vento”, sobre os escultores do povoado Ilha do Ferro, no alto Sertão, no município alagoano de Pão de Açúcar, às margens do rio São Francisco.

“As confecções foram, em poucas décadas”, afirma o diretor, “reduzindo a importância mercantil desses profissionais da alfaiataria através de mecanização e compartimentação do processo produtivo do vestuário massivo.  Seu Cardoso, falecido em 2015, com seu atelier instalado no Taboão do Pelourinho, em Salvador da Bahia, era um personagem da história da alfaiataria baiana, que forma os primeiros profissionais com a fundação da Escola de Aprendizes Artífices da Bahia, instalada, provisoriamente, no edifício do Centro Operário da Bahia, em 1910.”

“Com bom humor e cheio de autoestima”, continua Claudio Manoel Duarte, “Cardoso reafirma o lugar privilegiado do artista-alfaiate numa contraposição ao vestuário pré-formatado e despersonalizado da indústria de roupa massiva”. O vídeo é uma realização da produtora O Imaginário é TV em parceria com a Nosso Bolso Produções Artísticas. Direção e fotografia de Cláudio Manoel Duarte, com edição de Gleydson Públio. O netdoc “Cardoso Alfaiate” também dispõe do selo CC, para uso livre sem fins comerciais.

O QUE:

Mostra Curta Moda – Apresentação de vídeos em curta-metragem do videoprodutor Claudio Manoel Duarte.

QUANDO:

Terça-feira (25), às 9h – Entrada franca.

ONDE:

Escola Técnica de Artes da Ufal – Rua Marechal Roberto Ferreira, s/n, Praça Sinimbu, região central de Maceió.

REALIZAÇÃO:

Produção de Moda/ ETA- Ufal.

Deixe o seu comentário