9 de Janeiro de 2018 • 6:00 am

Brasil » Política

Verba da Câmara de nova ministra vai para tia da Chefe de Gabinete

Nomeação de Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho, que também possui processos trabalhistas e foi condenada no mensalão, está suspensa por liminar

Por: Da Redação
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Nomeada para o cargo de ministra do Trabalho, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) tem destinado mensalmente R$ 4 mil de sua cota parlamentar a uma locadora de veículos que pertence à tia de Alessandra Serra Gama, sua chefe de gabinete, principal assessora da nova titular da Esplanada.

A empresa Barros & Serra Serviços Executivos Rent a Car declara o endereço e o telefone de um escritório de contabilidade, em Sobradinho, cidade-satélite de Brasília. No local, espremido entre uma borracharia e uma loja agropecuária, não há placa de identificação, carros, garagem ou balcão de atendimento da locadora. Lá funciona a Lacerda Contabilidade.

Os atendentes da Lacerda Contabilidade informaram que a empresa é o “endereço fiscal” da Barros & Serra, mas que a locadora aluga uma sala no andar de cima. Ninguém atendeu no imóvel.

O proprietário do prédio disse que, além do próprio escritório, só há mais dois inquilinos no edifício e nenhum deles é da empresa contratada por Cristiane Brasil.

A deputada apresentou gastos de R$ 29,1 mil com a Barros & Serra. Entregou sete notas fiscais da empresa à Câmara e recebeu reembolso. O grosso dos recursos (R$ 23,1 mil) foi pago entre julho e dezembro de 2017, após a nomeação da chefe de gabinete.

Para completar, caso Cristiane assuma o ministério, sua vaga na Câmara será assumida por seu suplente, Nelson Nahim (PSD-RJ), irmão de Garotinho e condenado a 12 anos de prisão por abusar uma menor de idade.

Liminar

A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), informou que a empresa contratada “formalmente” por seu gabinete “para o serviço de transporte privado atua dentro da legalidade e nunca foi contestada pela Câmara dos Deputados”.

Em texto divulgado pela assessoria, Cristiane alegou que as notas fiscais do pagamento pelo aluguel de um Corolla “são de conhecimento público e estão disponíveis no portal da Câmara” dos Deputados.

Filha do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), condenado no mensalão, a deputada tem posse marcada para esta terça (9). O ato foi suspenso por decisão do juiz Leonardo da Costa Couceiro, titular em exercício da 4ª Vara Federal de Niterói (RJ), devido a problemas de Cristiane com ações trabalhista. “até segunda determinação do juízo”.

A entidade diz que a nomeação de Cristiane Brasil “ofende a moralidade administrativa”, porque, além de não reunir em seu currículo características apropriadas à função, a deputada tem contra si “fatos desabonadores já replicados nas grandes mídias, como condenação ao pagamento de dívida trabalhista”.

O Palácio do Planalto informou que a Advocacia-Geral da União (AGU) já está preparando o recurso contra a liminar.

Deixe o seu comentário