12 de março de 2015 • 1:35 pm

Esportes

Vica monta time compacto e ASA conquista 1º turno sem derrotas

Em Arapiraca, Alvinegro empata no tempo normal com o CSA e ganha nos pênaltis

Por: Leonardo Reis
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

Vica sofreu no início. O sistema defensivo do ASA não encaixava e a derrota para o CSA na fase de preparação acendeu a luz de alerta. Em tempo. Depois daquele jogo em Arapiraca, em janeiro, o time ganhou uma nova formação, os gols saíram e a defesa ficou mais compacta. Veio o Alagoano e o Alvinegro ficou com a taça do primeiro turno sem nenhuma derrota. Neste domingo, empatou por 1 a 1 com o rival CSA, no Coaracy da Mata Fonseca, e venceu nos pênaltis por 5 a 3.

Gabriel, Rayro, Alex Henrique, Uederson e Didira converteram. Breno, do Azulão, desperdiçou a cobrança e viu o adversário comemorar a vaga na Copa do Brasil de 2016. No tempo normal, Valdívia abriu o placar para o ASA, mas Reinaldo empatou ainda na primeira etapa.

Curiosamente, CSA e ASA voltam a se enfrentar na primeira rodada do returno. Quinta-feira, às 20h30, os rivais disputam o sexto clássico da temporada. Até aqui, equilíbrio total. Foram três empates, e uma vitória para cada lado.

Posturas diferentes

O CSA entrou em campo preocupado em se defender. O ASA, ao contrário, partiu para cima e fez a defesa adversária trabalhar até marcar o primeiro gol, aos 27 minutos. Didira escapou pela direita e cruzou por baixo. Valdívia se antecipou a Pierre e emendou, tirando de Jeferson.

Treinador do Azulão, Nedo Xavier decidiu mudar ainda na primeira etapa. Sacou, de uma só vez, Elyeser e Élvis, figuras apagadas na partida. Entraram Granja e Zé Paulo. O CSA mudou a postura, avançou e chegou o empate aos 40 minutos. Afonso deu lindo drible em Lucas Bahia e disse a Reinaldo Alagoano: “Faz”. O centroavante, na pequena área, não perdoou: 1 a 1.

Polêmicas

Ainda sobrou espaço para polêmicas na etapa inicial. Meia do ASA, Didira reclamou de ter sido puxado por Breno na área. O arbitro José Ricardo Laranjeira nada marcou. Depois, Reinaldo partiu de trás, fez um gol para o CSA, mas o bandeira anulou a jogada, assinalando impedimento. Sobraram reclamações.

O segundo tempo pegou fogo apenas nos últimos minutos. O Azulão começou até bem, mas recuou e o ASA criou pelo menos três grandes chances. A melhor delas foi aos 47 minutos. Rayro encheu o pé de fora da área, no ângulo, mas o goleiro do CSA voou para salvar. Depois dessa defesa, os pênaltis eram inevitáveis. O Alvinegro converteu todos e provou sua competência no estadual até agora. Invicto, levantou o caneco do turno e ganha confiança para encarar os novos desafios da temporada.

Deixe o seu comentário