26 de julho de 2016 • 8:55 am

Política

Viçosa: PF investiga compra de votos; Em Pão de Açúcar desrespeito total

Candidato acusado de distribuir gasolina e bicicletas usando uma instituição filantrópica

Por: Da Redação
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page

A Operação Niágara da Polícia Federal iniciada nesta manhã de terça-feira, 26, para prender compradores de votos para eleições deste ano, na cidade de Viçosa, zona da Mata Alagoana,de repente  poderá ter desdobramentos em outros municípios alagoanos, principalmente no sertão, onde o abuso do poder econômico enche os olhos da população, como acontece em Pão de Açúcar, a 260 quilômetros de Maceió.

Viçosa: PF investiga

Viçosa: PF investiga

Lá, na cidade sertaneja, o candidato Flávio Almeida (PMDB), ex-segurança de PC Farias e sócio de uma vinícula em Portugal, vem sendo acusado pela população de comprar bicicletas para eleitores e de abastecer motos e carros com gasolina em um dos postos de combustíveis da cidade, durante as carreatas que realiza, enquanto pré-candidato a Prefeitura. As denúncias povoam grupos de redes sociais.

Denúncias nesse sentido estão sendo formuladas para serem levadas ao Ministério Público Eleitoral. Além disso, o pré-candidato, segundo as denúncias, tem usado uma instituição que dirige, dita filantrópica, para distribuir benesses aos eleitores nesse período de campanha, caracterizando o desrespeito a legislação eleitoral e o abuso do poder econômico.

Situações semelhantes acontecem em municipios  da região com candidatos apoiados por parlamentares já acostumados a financiar campanhas de seus correligionários, como em Delmiro Gouveia e Santana do Ipanema.

Viçosa – No caso da operação da PF nesta manhã, em Viçosa, as informações é de que a PF investiga um esquema de compra de votos que envolve um pré-candidato  e um grande proprietário rural. Lá a Federal emitiu um mandado de condução coercitiva e intimou mais três acusados para depoimentos na Superintendência em Maceió.

As regras eleitorais mudaram no País, mas os candidatos continuam com os mesmos ” modus operandi”, não apenas no interior do Estado, mas em Maceió também.

Deixe o seu comentário


Publicidade