24 de novembro de 2015 • 4:38 pm

Cotidiano » Justiça

Violência doméstica pauta ação da Justiça na próxima semana

Até o momento, 247 audiências foram agendadas em Alagoas, para o mutirão nacional que começa na segunda-feira (30)

Por: Fátima Almeida
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this page
Ilustração internet

Ilustração internet

Até o momento, 247 audiências de processos envolvendo violência doméstica foram agendadas em Alagoas, para o mutirão que a Justiça realiza em todo o país, a partir da próxima segunda-feira (30), na terceira edição da campanha Justiça pela Paz em Casa. Dos agendamentos feitos, 120 processos correm em varas da capital; outros 120 são de varas de Arapiraca; e 7 são da comarca de Maravilha.

Na Capital, as ações da campanha vão acontecer a partir das 8h, no prédio do curso de Direito do Cesmac, no bairro do Farol. Em Arapiraca, os trabalhos serão realizados no Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, no Alto do Cruzeiro. Já em Maravilha, as audiências foram marcadas para fórum da comarca, no centro da cidade.

“A intenção é dar agilidade e visibilidade para essa questão da violência doméstica, infelizmente algo ainda muito forte em Alagoas”, afirmou a presidente da Associação Alagoana de Magistrados (Almagis), juíza Fátima Pirauá. De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça em Alagoas (TJ-AL), as audiências de instrução que serão realizadas durante o mutirão vão deixar os processos prontos para julgamento.

A ação vai até o dia 4 de dezembro. Além das audiências, também ocorrerão, palestras em escolas públicas e visitas a delegacias e ao sistema prisional. “Queremos levar cada vez mais informação sobre a Lei Maria da Penha e mostrar que o Judiciário está atento aos casos de agressão contra a mulher”, reforçou Fátima Pirauá.

De acordo com a assessoria do TJ, a primeira edição da Justiça pela Paz em Casa ocorreu em março deste ano. Na ocasião, foram realizadas 782 audiências e proferidas 420 sentenças. Já a segunda edição ocorreu em agosto e julgou 41 processos que tramitavam no Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, na capital alagoana.

Deixe o seu comentário