9 de abril de 2020Informação, independência e credibilidade
Blog

A insensatez fazendo escola: Quem tem nada a ver com esse coronavírus?

No primeiro dia de vigência do Decreto de Emergência, jangadeiros ignoram as regras e realizam passeios às piscinas da Pajuçara

Chegando hoje, na praia, para uma respirada solitária (isso ainda pode), vi quando dois jangadeiros se encontraram e ouvi o diálogo gritado entre eles:

– E aí, quer dizer que ninguém trabalha hoje não, né? Teve o decreto proibindo…

– Quem disse? Quero nem saber; vou trabalhar, sim. E eu tenho nada a ver com esse coronavírus?

E sorrindo, seguiram desafiando as regras e já organizando um grupo de passeio para as piscinas naturais da Pajuçara.

Impactada com a falta de responsabilidade social, e com o descaso diante da situação de caos mundial vivida por causa do Codiv-19, pensei cá comigo: na escola da vida, devem ser aprendizes da turma que tenta desqualificar o potencial devastador do vírus, comparando-o com coisas sem importância, como uma “gripezinha qualquer”.

No primeiro dia de vigência do Decreto de situação de Emergência no Estado (nº 69.5410) publicado na edição eletrônica do Diário Oficial desta sexta-feira (20), pelo governo de Alagoas, as praias de Maceió amanheceram vazias. Poucas pessoas se arriscaram a uma caminhada ou a forrar uma toalha na areia e aproveitar o dia de sol, assim mesmo – sem cadeiras nem guarda-sol para alugar; sem vendedores ambulantes; sem comércio de bebidas e alimentos, mas… com passeios de jangada.

Apesar da restrição contida no parágrafo 1º (alínea “a”), do artigo nº 2 do Decreto, suspendendo por 10 dias “qualquer atividade de comércio nas praias, lagoas, rios e piscinas públicas ou outros locais de uso coletivo e que permitam a aglomeração de pessoas”, alguns jangadeiros da Pajuçara quebraram as regras e partiram pro mar, levando turistas ávidos por aproveitar as belezas das nossas piscinas naturais.

Programinha atrativo, ainda mais na pechincha de um dia morgado e cheio de restrições – necessárias para a contenção da escalada do Codiv-19 em sua curva de contaminação em Alagoas. A maioria acabou se rendendo ao convite, esquecendo o perigo que ronda a todos nós.

É verdade que se trata de um passeio ao ar livre, em embarcação totalmente aberta e com média de 6 a 8 pessoas a bordo. Não chega a ser uma grande aglomeração, mas há perigo, sim. As pessoas se misturam, ocupam o mesmo banco, ficam muito próximas e isso favorece a propagação do vírus.

E está proibido. Os visitantes podem nem saber, mas os jangadeiros sabem, sim, e alguns insistem em ignorar o perigo ou minimizar a responsabilidade que cada um deve ter consigo e com a coletividade.

Hoje à tarde, em entrevista à TV Gazeta, o Major Cavalcante, do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, confirmou que os passeios estão suspensos por força do Decreto nº 69.541 e disse que foi iniciado trabalho de conscientização com os jangadeiros, ainda pela manhã, e que eles já estão recolhendo as embarcações.

Também na tarde deste sábado, a Prefeitura de Maceió anunciou, em sua página oficial, que para reforçar o decreto do Governo do Estado, determinará, na próxima segunda-feira (23), também por decreto, “a suspensão de passeios turísticos na capital alagoana, sejam eles em veículos terrestres ou embarcações”.

Pra que não reste dúvida, né?

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.