4 de julho de 2020Informação, independência e credibilidade

Por Elas

Diferente: Entidades realizam atos virtuais para celebrar o Dia do Trabalhador

Diferente: Entidades realizam atos virtuais para celebrar o Dia do Trabalhador

Blog, Por Elas
Sem passeata, sem manifestações nas praças, sem cartazes nas ruas; trabalhadores e trabalhadoras do mundo inteiro vivem, nesta sexta-feira, um 1º de maio inédito. Por medida de proteção à saúde, diante de uma pandemia que assola o mundo, grande parte da população mundial está confinada em casa, cumprindo quarentena de isolamento social e vivendo uma nova experiência laboral, de ter que continuar produzindo, sem sair de casa. Nesse mundo novo, em que as relações de trabalho se reinventam, muitos desafios despontam, não só em relação ao trabalhador que, da noite para o dia teve que transformar sua casa numa estação de trabalho, limitando o espaço da família e multiplicando seu tempo para dividi-lo entre as atribuições profissionais e domésticas. Mas também, e principalmente, em relação à pr
Descuido: Muita gente ainda não entendeu que o vírus está solto no ar

Descuido: Muita gente ainda não entendeu que o vírus está solto no ar

Blog, Por Elas
De repente, alguém que você conhece; um colega de trabalho; um vizinho; um parente... Até o governador do Estado já entrou nas estatísticas dos casos confirmados de coronavírus. Os números não param de crescer e os casos se aproximam cada vez mais de cada um de nós. As evidências não poderiam ser mais claras: estamos subindo vertiginosamente o pico de contaminação pelo Covid-19. Mas, ainda assim, muitas pessoas parecem não entender que os números de proliferação da doença se multiplicam; que vivemos o momento de risco maior; que o vírus está solto no ar. Certo que, por determinadas circunstâncias – algumas justificáveis, outras não – o número de pessoas nas ruas tem aumentado. As regras do isolamento social afrouxaram, não só por conta dos decretos governamentais, que aos poucos vão lib
Visão Mundial vai selecionar projetos de proteção à infância contra o Convid-19

Visão Mundial vai selecionar projetos de proteção à infância contra o Convid-19

Blog, Mundo, Por Elas
Iniciativa liderada pela ONG Visão Mundial com objetivo de mobilizar pessoas, ideias e recursos em ações e projetos no combate à Covid-19, dentro de comunidades de grande vulnerabilidade social pelo Brasil afora, o Fundo Juntos pelas Crianças vai selecionar projetos sociais em 26 estados e no Distrito Federal. O foco dos projetos deve ser o enfrentamento à pandemia, com medidas preventivas e de assistência focadas na proteção a meninos e meninas mais vulneráveis, para alavancar ações comunitárias no combate à Covid-19, como campanhas de sensibilização ou ações de atendimento direto - distribuição de água potável, kits de higiene, cestas básicas, entre outros. As organizações interessadas em participar devem se inscrever por meio de um cadastro na plataforma digital www.juntospelascri
Enquanto uns andam na contramão, empresários alagoanos dão show de solidariedade

Enquanto uns andam na contramão, empresários alagoanos dão show de solidariedade

Alagoas, Blog, Por Elas
“O Brasil está vivendo um desafio histórico. Iniciamos uma guerra contra um inimigo que não enxergamos, mas já conhecemos o estrago que vem fazendo: o Coronavírus! Os números de infectados e de óbitos são assustadores (...). O dever nos chama e a preocupação em contribuir com as autoridades públicas nos fez criar esse movimento social”. Assim, começa o manifesto do movimento Alagoas Mais Forte, iniciativa de um pool empresarial (aberto à sociedade em geral), com objetivo de ajudar o Estado nas ações de enfrentamento e combate ao novo Coronavírus, através da doação de equipamentos para estruturar hospitais de campanha. Com um mês de criado, o movimento já conseguiu viabilizar a compra de 20 monitores multiparâmetro com capinografia, equipamento auxiliar fundamental ao uso dos resp
‘Síndrome da imunidade’: Você também pensa que não pega vírus?

‘Síndrome da imunidade’: Você também pensa que não pega vírus?

Blog, Por Elas
“Não vai acontecer comigo. Tenho fé em Deus!”. Por mais que se esclareçam os fatos e que se escancare a realidade dolorosa de tantas vidas perdidas – quase 150 mil mortos no mundo, nos últimos três meses, pelo Coronavírus  - há sempre alguém com essa frase na ponta da língua para tentar justificar a falta de cuidado e de engajamento no que precisa ser feito para conter o avanço dessa estatística mórbida. Não sei por que carga de merecimento, muitos de nós temos uma tendência a nos julgarmos imunes aos males que assolam o mundo ao nosso redor; que aquilo não vai acontecer conosco. E é nesse vacilo que o perigo avança, vai rondando, encostando...  Foi assim no advento da AIDS, que se espalhou, décadas atrás, fazendo vítimas entre os que menosprezaram a necessidade de prevenção. Foi assim
Aglomerações seguem desafiando o vírus nas feiras, no ônibus, nos bancos…

Aglomerações seguem desafiando o vírus nas feiras, no ônibus, nos bancos…

Blog, Por Elas
Mesmo em tempos de quarentena, em que a ordem universal é ficar em casa para minimizar os riscos de contaminação pelo novo coronavírus, as aglomerações que têm se formado nas feiras livres e em frente às instituições financeiras (bancos e casas lotéricas) têm constituído um desafio diário no controle da Covid-19, com a superexposição de pessoas, inclusive idosas e de saúde debilitada, ao risco de contato com o vírus, no meio de multidões que vão em busca do dinheiro da aposentadoria, do benefício, da Bolsa Família, da cota do Pis e do FGTS, da regularização do CPF para o cadastro do auxílio emergencial. Já falamos sobre isso esta semana, mas nada mudou – nem na capital, nem no interior. Aliás, as imagens que vi hoje, no mercado do peixe, em Palmeira dos Índios, um dia depois que os órgã
Deus nos acuda! Quem sobrevivará à caneta de Bolsonaro?

Deus nos acuda! Quem sobrevivará à caneta de Bolsonaro?

Blog, Por Elas
Não é de hoje que o presidente Jair Bolsonaro e o seu ministro da Saúde destoam; não falam mais a mesma linguagem. O vírus que tem causado devastação por onde passa, e que avança no Brasil, afetou de maneira mortal a relação entre comandante e comandado e a convivência de ambos no mesmo governo tornou-se visivelmente insustentável. Em seu trabalho de combate ao avanço da Covid-19 no Brasil (um bom trabalho, do ponto de vista técnico, diga-se de passagem), o ministro Luiz Henrique Mandetta tem feito manobras mirabolantes para se manter na mesma rota da ordem mundial, sem trombar com o ‘rei’, que de maneira insana, contra toda sinalização, insiste em permanecer na contramão das medidas técnicas adotadas em todo o planeta. Quase que diariamente, as contradições se repetem dentro do gove
Não é só teimosia: Aglomerações exigem estratégias mais eficientes

Não é só teimosia: Aglomerações exigem estratégias mais eficientes

Blog, Por Elas
https://youtu.be/jq2K37hu3T0 Fim de um mês, início de outro, contas a pagar, dinheiro a receber e a panela vazia na casa de milhares de pessoas que há 15 dias não podem sair para trabalhar, diante da ameaça de um inimigo invisível que se alastra deixando um rastro de morte pelo mundo inteiro. Está difícil para todos, mas estou falando, especificamente de uma faixa mais pobre da população; de pessoas idosas, trabalhadores informais que de uma hora para outra ficaram sem renda; de uma legião de famílias que dependem dos programas sociais do governo e das ações de solidariedade que aparecem aqui ou ali. Para estes, não há alternativa senão encarar a fila do banco e da casa lotérica para receber o benefício ou se arriscar na fila da distribuição da cesta-básica promovida por instituiç
Ajuda emergencial é sancionada, mas veto do presidente reduz seu alcance

Ajuda emergencial é sancionada, mas veto do presidente reduz seu alcance

Blog, Por Elas
Aprovado na segunda-feira (30), por unanimidade, no Congresso Nacional, o projeto que estabelece ajuda emergencial entre R$ 600 e R$ 1.200 para trabalhadores informais e microempreendedores individuais durante a crise gerada pelo coronavírus, virou lei. Foi sancionado na noite desta quarta-feira (1° de abril), pelo presidente Jair Bolsonaro, mas com vetos que reduzem seu alcance social e que podem atrasar ainda mais o pagamento. A celeridade vem sendo cobrada por membros do Congresso, de partidos políticos e de outras instituições, inclusive ministros do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal de Contas da União. Apesar da gravidade da situação dos beneficiários e do caráter emergencial da matéria, o projeto ficou dois dias parado, aguardando a sanção presidencial. E o governo chegou a s