18 de janeiro de 2020Informação, independência e credibilidade
Política

‘Cala a boca’: Bolsonaro ignora denúncia e manterá Chefe da Secom que recebe de TVs

“Se foi ilegal, a gente vê lá na frente”, disse o presidente em defesa do responsável pela comunicação do Governo

Wanjgarten, ao lado de Bolsonaro, tem laços ilegais com emissoras de TV

Atacando a Folha de São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro resolveu manter Fabio Wanjgarten, chefe da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência), no cargo mdxmo após a revelação de que ele possui um empresa que recebe dinheiro de contratadas do governo.

“Se foi ilegal, a gente vê lá na frente. Mas, pelo que vi até agora, está tudo legal, vai continuar. Excelente profissional. Se fosse um porcaria, igual alguns que tem por aí, ninguém estaria criticando ele”. Jair Bolsonaro, presidente.

Na quarta (15), o jornal revelou que o Wanjgarten recebe, por meio de uma empresa da qual é sócio, dinheiro de emissoras televisivas e de agências de publicidade contratadas pela própria secretaria, ministérios e estatais do governo Bolsonaro.

A Secom é a responsável pela distribuição da verba de propaganda do Planalto e também por ditar as regras para as contas dos demais órgãos federais. No ano passado, gastou R$ 197 milhões em campanhas. Leia mais aqui.

Bolsonaro comentou o assunto após ser questionado três vezes sobre a permanência do secretário, na manhã desta quinta, na saída do Palácio da Esplanada. Ele se recusou a responder questionamentos feitos pela Folha e disse que o jornal não tem moral para fazer perguntas.

“Fora, Folha de S.Paulo, você não tem moral para perguntar, não. Cala a boca”. Jair Bolsonaro, presidente.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.