31 de maio de 2020Informação, independência e credibilidade
Mundo

Com funerárias e hospitais lotados, força-tarefa no Equador retira 800 corpos das próprias casas

Após colapso do sistema de saúde, doentes e mortos ficam sem ter pra onde ir em Guayaquil

Trabalhadores enterram caixão em cemitério de Guayaquil, Equador, em meio ao novo surto de coronavírus. Foto: Jose Sánchez/AFP

O governo do Equador anunciou no domingo que retirou quase 800 corpos corpos de pessoas que morreram em suas residências nas últimas semanas em Guayaquil, epicentro do coronavírus no país, após o colapso dos hospitais e das funerárias pela pandemia. A província costeira de Guayas concentra 72% dos infectados. Em Guayaquil, existem cerca de 4.000 pacientes, segundo o governo nacional.

Uma força-tarefa conjunta atua há três semanas e fez o balanço legal de 771 mortos em residências e 631 em hospitais, que já têm os necrotérios lotados. As autoridades, que agora enfrentam denúncias de pessoas que exigem os corpos de parentes mortos durante a pandemia, sepultaram quase 600 vítimas fatais da doença.

São portanto 1.400 mortes ocorridas durante a emergência sanitária pela pandemia, que no Equador deixa 7.500 casos, incluindo 333 mortes oficial segundo o balanço oficial, desde que a presença do vírus foi declarada em 29 de fevereiro.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.