11 de agosto de 2020Informação, independência e credibilidade
Política

Bolsonaro pressiona Toffoli no STF, com Guedes e empresários, pelo fim do isolamento

Ministro da Economia afirma que economia está colapsando, mas Toffoli cobrou mais coordenação entre poderes e a federação

Para forçar a retomada da atividade econômica, o presidente Jair Bolsonaro levou um grupo de empresários ao STF (Supremo Tribunal Federal) para relatar ao chefe da Corte, ministro Dias Toffoli, os impactos que o isolamento social tem gerado na iniciativa privada.

A reunião não estava na agenda.

Por outro lado, Toffoli cobrou coordenação do governo federal com os outros poderes e os entes da federação e disse que é necessário fazer um planejamento para a volta do funcionamento das indústrias.

Apesar disso, chefe do Executivo voltou a afirmar que os efeitos da restrição de circulação não podem ser maiores do que os problemas causados pela doença em si.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, ressaltou que o Brasil pode enfrentar a mesma situação de países vizinhos se não mudar de estratégia no enfrentamento à doença.

“Eles vinham dizendo que estavam conseguindo preservar os sinais vitais e agora o sinal que passaram é de que está difícil, a economia está começando a colapsar. E aí não queremos correr o risco de virar uma Venezuela, não queremos correr o risco de virar sequer uma Argentina, que entrou em desorganização, inflação subindo, todo esse pesadelo de volta”. Paulo Guedes, ministro da Economia.

Bolsonaro afirmou que o grupo de empresário representa mais de 40% do PIB e 30 milhões de empregos. Segundo o presidente, todos podem ser “esmagados” pela crise econômica caso não haja a retomada da atividade industrial.

“Os empresário trouxeram pessoalmente essas aflições, a questão do desemprego, a questão de a economia não mais funcionar. As consequências, o efeito colateral do combate ao vírus não pode ser mais danoso que a própria doença. E os empresário querem que o STF também ouça deles o que está acontecendo”. Jair Bolsonaro, presidente.

Toffoli então cobrou, mais de uma vez uma, maior coordenação do governo federal com os outros poderes e os demais entes da federação. Além disso, afirmou que é necessário fazer um planejamento para organizar a retomada da volta da economia.

“Essa coordenação, que eu penso que o Executivo, o presidente da República, junto com seus ministros, chamando os outros poderes, chamando os estados, representantes de municípios, penso que é fundamental. Talvez um comitê de crise para, envolvendo a federação e os poderes, exatamente junto com o empresariado e trabalhadores, a necessidade que temos de traduzir em realidade esse anseio, que é o anseio de trabalhar, produzir, manter a sociedade estruturada”. Dias Toffoli, presidente do STF.

Há alguns dias, vale lembrar, Bolsonaro participou de protestos que pediam o fechamento do STF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.