12 de agosto de 2020Informação, independência e credibilidade
Brasil

Com o cargo a perigo, Ernesto Araújo pediu feitos positivos de sua gestão, mas não encontrou

Ao lado de Ricardo Salles, do meio Ambiente, o ministro do Exterior é mais um que pode deixar o governo Bolsonaro

Diplomatas têm tido dificuldade para listar feitos de Ernesto Araújo em seu um ano e meio à frente do Itamaraty. A lista precisa falar em aumento do número de parceiros comerciais.

Entretanto, alguns diplomatas vêm pontuando que houve uma redução de 20% nas exportações brasileiras de 2018 para 2019, de US$ 58 bilhões para US$ 46 bilhões.

Outro ponto que deverá constar da lista é uma maior aproximação com o Golfo Pérsico. Mas, nesse meio tempo, houve uma crise com o Irã, em janeiro, devido a um respaldo ao ataque americano, matando um oficial iraniano.

Países do Golfo Pérsico que compõem a Liga Árabe também se indispuseram com a disposição do governo para trocar a embaixada em Israel de Jerusalém para Tel-Aviv.

Próxima demissão

Ao lado de Ricardo Salles, do meio Ambiente, Araújo é mais um que pode deixar o governo Bolsonaro. E além de gestão pobre, as polêmicas não ajudaram:

Seria mais um que já vai tarde.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.