13 de dezembro de 2019Informação, independência e credibilidade
Política

Eduardo Bolsonaro e outros 17 deputados são suspensos pelo PSL

Partido dissolveu diretório de SP, comandado pelo filho do presidente

Jair Bolsonaro (PSL) não quer se associado com Bivar, presidente do próprio partido

Os membros do Diretório Nacional do PSL, presidido pelo deputado federal Luciano Bivar (PE), confirmaram, por unanimidade, as suspensões e advertências a 18 parlamentares do partido e a dissolução do diretório estadual de São Paulo, que era comandado por Eduardo Bolsonaro.

Esses deputados se alinharam ao presidente Jair Bolsonaro na disputa de poder que ocorreu dentro da legenda em meados de outubro. A suspensão acarreta afastamento da atividade parlamentar. Os deputados devem ser retirados de comissões das quais são membros, por exemplo.

As suspensões a 14 parlamentares e advertências a outros 4 já haviam sido recomendadas pelo conselho de ética do partido na semana passada e precisavam ser validadas pelos 153 membros com direito a voto no Diretório Nacional na reunião convocada para esta terça-feira (3).

Carlos Jordy (RJ) será suspenso por 7 meses, enquanto Carla Zambelli (SP) e Bia Kicis (DF) ficarão suspensas das atividades parlamentares por 6 meses.

Eduardo Bolsonaro (SP), Bibo Nunes (RS), Alê Silva (MG) e Daniel Silveira (RJ) receberam a penalidade mais dura, de suspensão por 12 meses.

Conselho de ética

O filho do presidente enfrenta ainda processo aberto no Conselho de Ética da Câmara em razão de uma fala sobre AI-5 (Ato Institucional n° 5).

Ele afirmou em entrevista que, se a esquerda radicalizar no Brasil, um resposta pode ser “via um novo AI-5”. O ato intensificou o período de repressão na ditadura militar.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.