5 de agosto de 2020Informação, independência e credibilidade
Justiça

Família obtém guarda de garota de 12 anos cujo desejo de adoção foi divulgado em vídeo do TJAL

Juíza Fátima Pirauá deferiu esta semana guarda provisória da adolescente, que já está na residência de seus novos pais para estágio de convivência supervisionado pelo Judiciário

A 28a. Vara Cível/Infância e Juventude da Capital concedeu a uma família de um estado do Nordeste a guarda provisória de uma garota de 12 anos cuja história estava num dos vídeos do projeto Adoções Possíveis, desenvolvido pela Coordenadoria da Infância do TJAL para incentivar a adoção tardia em Alagoas.

O vídeo contanto a história e os sonhos da menina foi produzido pela Diretoria de Comunicação (Dicom) e compartilhado nas redes sociais do Judiciário de Alagoas . Ao ser impactada pelo vídeo, a família, que vive num Estado do Nordeste, fez contato com a 28 Vara Cível e solicitou autorização para conhecê-la.

Os primeiros contatos entre a garota e o casal interessado em sua adoção foram feitos por chamada de vídeo, sob supervisão da equipe técnica da Unidade de Acolhimento . Três semanas depois, receberam autorização para conhecer a menina no abrigo me que vivia desde que não foi mais possível viver com sua família biológica.

“O vídeo com a história da garota foi fundamental para que o casal se interessasse por ela”, comentou a juíza Fátima Pirauá, que autorizou visita presencial com forma de estreitar os laços com a garota. Resultado: o casal entrou com processo e solicitou sua guarda provisória. O pedido foi deferido nesta semana.

“A garota já viajou com o casal que pretende adotá-la para o estado de origem deles. Vão passar por estágio de convivência, que será supervisionado por unidade judiciária da cidade ondem residem. Os relatórios das visitas técnicas serão enviados à 28 Vara, onde tramita o processo de adoção”. Fátima Pirauá, juíza.

A expectativa da magistrada é que a adoção se concretize, daqui a alguns meses.

‘Quando uma família se interessa por um dos adolescentes inseridos no projeto, a nossa alegria é imensa e a gente tem certeza de que vale muito a pena o esforço para tentar viabilizar as adoções tardias em Alagoas’. Fátima Pirauá.

O vídeo que despertou interesse da família na menina que estava acolhida em abrigo da capital foi produzido, gravado e editado pela Diretoria de Comunicação (Dicom), parceira da Coordenadoria da Infância do TJAL no projeto Adoções Possíveis, lançado em 2018 pelo presidente Tutmés Airan de Albuquerque.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.