29 de fevereiro de 2020Informação, independência e credibilidade
Brasil

Flávio Bolsonaro se manifesta sobre morte de miliciano e cobra elucidação

Senador filho do presidente pede que cremação de ex-PM seja impedida; Justiça já proibiu realização da cerimônia

Senador Flávio Bolsonaro acusado de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa

O senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) se manifestou pela primeira vez nesta quarta-feira (12) sobre a morte do ex-capitão da PM Adriano da Nóbrega e pediu que seja impedida a cremação do corpo e que o caso seja elucidado.

É o primeiro pronunciamento público da família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a morte do ex-PM, acusado de integrar um grupo de assassinos profissionais, chefiar uma milícia e ser sócio da contravenção no Rio de Janeiro.

Leia mais:
Bolsonaro evita imprensa e ignora morte do miliciano ligado ao filho Flávio

Foragido havia mais de um ano, o ex-policial ligado a Flávio foi morto neste domingo (9) durante operação policial no interior da Bahia.

A declaração de Flávio foi publicada em sua conta oficial no Twitter. Ele comentou sobre a possibilidade de cremação do corpo do ex-PM, tentada pela família.

A Justiça do Rio de Janeiro impediu na madrugada desta quarta (12) a cremação, solicitada pela mãe e irmãs do ex-policial. A cerimônia estava marcada para as 10h no Crematório do Memorial do Carmo, mas foi cancelada.

Homenageado duas vezes na Assembleia Legislativa do Rio por Flávio Bolsonaro, Adriano é citado na investigação que apura a prática de “rachadinha” (esquema de devolução de salários) no gabinete do então deputado estadual. O miliciano teve duas parentes nomeadas por Flávio.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.