4 de abril de 2020Informação, independência e credibilidade
Policia

Fraudes fiscais de R$ 100 milhões no Agreste de AL são alvo de Operação

Crimes vão de formação de organização criminosa, falsificação de documentos, lavagem de bens, até falsidade ideológica e crimes tributários

Deflagrada na manhã desta terça-feira (10), a Operação “Senhor do Sol” aconteceu para desbaratar uma Organização Criminosa (Orcrim) envolvida em inúmeras fraudes fiscais em Alagoas.

São 131 mandados de busca e apreensão, 14 de prisões preventivas e 5 de prisões temporárias, na região do Agreste, em operação do Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e Lavagem de Bens (GAESF).

Os municípios alvos da operação são: Arapiraca, Craíbas, Girau do Ponciano, Lagoa da Canoa, Olho D’Agua Grande e Campo Alegre dentre outros

Todos os mandados foram expedidos pela 17a Vara Criminal da Capital, contra pessoas físicas e 41 empresas, sendo 17 estabelecimentos comerciais que realizaram manobras fraudulentas que atingiram valor superior a R$ 108 milhões de reais em impostos.

Esquema

As empresas envolvidas agiam da seguinte maneira:

  • efetuaram um expressivo volume de vendas sem a emissão de documentos fiscais;
  • entregaram mercadorias em locais diversos dos indicados nos documentos fiscais;
  • realizaram o cancelamento fraudulento de um grande número de documentos fiscais;
  • não recolheram o ICMS por Substituição Tributária de diversas mercadorias comercializadas;
  • usaram artifícios para burlar as regras do regime de benefícios fiscais de atacadistas;
  • constituíram empresas em nome de interpostas pessoas.

Ocorreram ainda delitos de formação de organização criminosa, falsificação de documentos, lavagem de bens, falsidade ideológica e crimes tributários, dentre outros.

O material apreendido, após análise, será remetido à 17a Vara Criminal da Capital, esta responsável pelo Combate ao Crime Organizado em Alagoas.

Os cumprimentos dos mandados envolveram equipes da PRF, militares do BOPE, RP, BPTRAN, 3° BPM, DETRAN, bem como Delegados e agentes da PCAL, e Auditores da SEFAZ.

O nome da operação “Senhor do Sol” faz referência a um dos principais comerciantes do Agreste de Alagoas que iniciou as suas atividades mercantis, com a maioria das empresas envolvidas nos delitos relacionados, na famosa Rua do Sol, em Arapiraca, principal local do comércio atacadista de alimentos no interior de Alagoas.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.