9 de abril de 2020Informação, independência e credibilidade
Brasil

Globo ignora “Messias de arma na mão” da Mangueira no Carnaval do Rio

Samba-enredo “A Verdade vos Fará Livre” narrou a trajetória de Jesus Cristo de uma forma mais contemporânea

Terceira escola a entrar na noite de domingo na Sapucaí, a atual campeã Mangueira veio com uma mensagem forte, que esbarrou na política. O samba-enredo “A Verdade vos Fará Livre” narrou a trajetória de Jesus Cristo, mas de uma forma mais contemporânea, criticando abertamente o presidente Jair Bolsonaro e a ideologia política que ele representa.

“Não tem futuro sem partilha nem messias de arma na mão”. Trecho de letra da Mangueira 2020.

Apesar disso, transmissão da Globo foi discreta a na interpretação deste desfile da escola e em nenhum momento mencionaram os versos mais polêmicos, nem mesmo negar uma referência a Bolsonaro.

A equipe também falou da atualidade da ala “Bandido Bom é Bandido Morto”, que retratou as principais vítimas da violência no Brasil, jovens pobres e negros, assim como o carro “O Calvário”, que trouxe como destaque um jovem crucificado de cabelo platinado.

A Verdade vos Fará Livre

Com referências a Jesus, que na visão da escola era uma pessoa “da gente”, mostrado com rosto negro, sangue índio e corpo de mulher, a Mangueira fez um desfile criticando a opressão e os “profetas da intolerância”. Até o fundamentalismo cristão entrou na mira.

O título do enredo  uma das citações bíblicas prediletas de Bolsonaro, que é apoiado pela bancada evangélica no Congresso e pela parcela mais conservadora da população, inspirada no evangelho de João.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.