15 de novembro de 2019Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Globo recebe dossiê que pede intervenção na TV Gazeta de Collor

Documento surge como uma bomba entre as afiliadas da Globo

Dossiê revela desmandos e baixa qualidade do jornalismo da TV Gazeta

Um dossiê relatando a drástica queda da qualidade do jornalismo da TV Gazeta de Alagoas, bem como a incompatibilidade de convivência dos profissionais com os desmandos administrativos dentro da emissora, foi entregue a direção da Rede Globo de Televisão. O documento pede a intervenção na afiliada de Maceió.

TV Globo já chegou a fazer intervenção na Gazeta nos anos 80, devido a problemas semelhantes e em consequência do uso político da emissora pelo senador Fernando Collor (PTC), proprietário da televisão. Collor hoje é investigado pela Operação Lava Jato e tem pena de 22 anos de prisão solicitada pela Procuradoria Geral da República.

A história do dossiê  já ganhou dimensão nacional e foi noticiada pelo jornalista Ricardo Feltrin, colunista do UOL.

Diz o colunista que os diretores da Globo tomaram conhecimento que “somente uma intervenção administrativa e, sobretudo, no jornalismo” poderá mudar o atual panorama desqualificação do padrão do jornalismo local, que macula a credibilidade da própria TV Globo.

O descompasso e a desestruturação do jornalismo da TV Gazeta de Alagoas se deu após a empresa demitir drasticamente 15 jornalistas que haviam aderido à greve dos jornalistas alagoanos, contra a proposta formulada pela empresa do senador Collor de reduzir 40% do salário do pessoal.

Os jornalistas voltaram ao trabalho por decisão judicial, mas foram desviados de suas funções. Com isso, o jornalismo global em Alagoas tem sido alvo de chacota nas redes sociais devido a baixa qualidade do material que tem sido apresentado ao telespectador alagoano.

O dossiê nas mãos dos dirigentes da Rede Globo surgiu como uma bomba em meio às afiliadas globais e a própria direção da emissora.

Dívidas

Em maio deste ano, o senador Fernando Collor de Mello (Pros-AL), principal acionista das empresas da família Collor, teve detalhada no UOL, pelo jornalista Carlos Madeiro, as dívidas de R$ 284 milhões com a União.

O senador é denunciado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que o acusa de corrupção e lavagem de dinheiro, graças as popinas recebidas por meio de contratos da BR Distribuidora.

A reportagem mencionou a predileção do ex-presidente por mansões, obras de arte e carros de luxo em contraste com as dívidas, sendo que 95% desse valor milionário são em duas firmas do grupo: a TV Gazeta de Alagoas e o jornal Gazeta de Alagoas, ambos citados na ação penal contra Collor.

A OAM (Organização Arnon de Mello), que reúne um grupo de dez empresas que usam o nome Gazeta, tem grande parte de suas dívidas de R$ 147 milhões em dívidas de Imposto de Renda, PIS, Cofins e multas, além de ex-funcionários acusarem o não pagamento de direitos trabalhistas. São 173 ações na Justiça do Trabalho.

 

 

One Comment

  • Avatar Fernando

    Fecha essa m*** , prende o Fernando Collor, e aproveita e prende também o Renan Calheiros. Liberta o Alagoano de bem desses BANDIDOS

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.